Com um a menos, Palmeiras empata com Tucumán na estreia da Libertadores

O Palmeiras viveu um típico jogo de Copa Libertadores em sua estreia na edição 2017 do torneio. Buscando o bi da competição, o Verdão arrancou um empate por 1 a 1 contra o Atlético Tucumán, na noite desta quarta-feira, na Argentina, em partida em que teve um jogador a menos desde a metade do primeiro tempo.

Atuando no Estádio José Fierro, que tem as arquibancadas muito próximas ao gramado e estava absolutamente lotado por cerca de 35 mil pessoas, o Verdão começou bem a partida cadenciando o jogo e segurando o ímpeto dos mandantes. Estabelecido no confronto, teve a primeira grande chance com Miguel Borja, mas Lucchetti fez um milagre na defesa.

Na metade do primeiro tempo, Vitor Hugo cometeu duas faltas para matar contra-ataque em menos de cinco minutos – a segunda duvidosa -, recebeu dois cartões amarelos e acabou expulso. O Verdão nem pôde se recuperar do baque e, aos 24 minutos, acabou sofrendo o gol de Zampedri, que fez seu quarto tento em cinco jogos na Libertadores.

Com um a menos, Eduardo Baptista saiu do 4-2-3-1 inicial e montou o Palmeiras no 4-4-1, com Thiago Santos e Felipe Melo pelo meio, Keno e Dudu avançando pelas laterais e Miguel Borja isolado na frente.

E foi justamente em uma jogada treinada exaustivamente pelo treinador que o Alviverde empatou com Keno. Dudu cobrou falta frontal na área, Thiago Santos cabeceou para o meio e o camisa 27 estufou as redes.

No segundo tempo, o Palmeiras se defendeu muito bem com duas linhas de quatro e não passou sustos. O Verdão apostou no contra-ataque, mas não teve tantas chances. Na melhor oportunidade do jogo, Miguel Borja perdeu sua terceira chance ao chutar para fora, sozinho dentro da área, após ótima jogada de Dudu.

O JOGO

O Palmeiras começou o jogo trocando passes em seu campo de defesa, sem forçar a saída de bola e tentando cadenciar a partida para segurar o âmbito do Atlético Tucumán nos primeiros 15 minutos. Depois de se estabelecer no confronto, porém, o Verdão começou a buscar o ataque.

Com 20 jogados, o Alviverde só não abriu o placar graças a um milagre do goleiro Lucchetti. Keno avançou pela esquerda, passou por dois marcadores, chegou à linha de fundo e cruzou rasteiro para Borja. O colombiano bateu de primeira, mas o goleiro argentino mostrou muito reflexo para impedir o terceiro gol do centroavante pelo Verdão.

O jogo se desenhava bem para o Palmeiras, mas logo em seguida, uma sequência de quatro minutos mudou a partida negativamente para o Verdão. Primeiro, Vitor Hugo trombou com Zampedri em contra-ataque dos argentinos, recebeu o segundo cartão amarelo e acabou expulso. Imediatamente, Eduard Baptista colocou Antônio Carlos e sacou Michel Bastos do time.

O Verdão nem pôde se recuperar do baque e, aos 24 minutos, acabou sofrendo o gol. Evangelista cruzou pela esquerda e encontrou Zampedri no primeiro pau. O artilheiro se antecipou a Edu Dracena e conseguiu finalizar, de costas para o gol. A bola encobriu Fernando Prass e morreu no segundo poste.

Atrás no placar e com um jogador a menos, o Palmeiras demorou a se encontrar na partida e só conseguiu uma nova oportunidade de marcar aos 32 minutos. Dudu dominou na entrada da área, girou sobre o zagueiro e deu linda enfiada para Borja. O colombiano entrou na área pela esquerda, ajeitou para o pé direito e chutou forte, mas Lucchetti saiu do gol e defendeu bem.

A oportunidade seguinte veio em cobrança de bola parada e, na jogada exaustivamente treinada pelo Palmeiras um dia antes, o Verdão empatou o jogo. Dudu cobrou falta frontal para a direita da área, Thiago Santos cabeceou para o meio e Keno chegou bem para completar para o gol.

Para a segunda etapa, o Palmeiras voltou modificado taticamente, mas sem substituições. Do 4-2-3-1 inicial, o time de Eduardo Baptista passou para o 4-4-1, com Thiago Santos e Felipe Melo pelo meio, Keno e Dudu avançando pelas laterais e Miguel Borja isolado na frente.

Sem sofrer sustos no segundo tempo, o Palmeiras apostava no contra-ataque para conseguir um segundo gol e só não virou o jogo pela falta de pontaria de Miguel Borja. Dudu avançou pela direita, brigou com os zagueiros, deixou três marcadores para trás e rolou para o colombiano. O camisa 12 entrou na área sozinho, pela direita e bateu cruzado, no contrapé de Lucchetti, mas acabou mandando para fora.

Com duas linhas de quatro bem postadas na defesa, o Verdão não tomava sufoco, mas não conseguia criar chances de gol. A melhor oportunidade veio aos 34 minutos, quando Jean cruzou na área, a bola passou pela área e chegou ao segundo pau. Dudu subiu de cabeça, mas não alcançou para desviar para as redes.

FICHA TÉCNICA

ATLÉTICO TUCUMÁN-ARG 1 X 1 PALMEIRAS

Data: 8 de março de 2017, quarta-feira

Local: San Miguel de Tucumán-ARG

Horário: 21h45 (de Brasília)

Árbitro: Mario Diaz de Vivar (Paraguai)

Assistentes: Eduardo Cardozo e Milcíades Saldivar (ambos do Paraguai)

Público:  pagantes

Renda: R$ 

Cartões amarelos: Bianchi (ATL); Thiago Santos e Fernando Prass (PAL)

Cartão vermelho: Vitor Hugo (segundo cartão amarelo)

Gols:

ATLÉTICO TUCUMÁN-ARG: Zampedri, aos 24 minutos do primeiro tempo

PALMEIRAS: Keno, aos 39 minutos da primeira etapa

ATLÉTICO TUCUMÁN: Luchetti; Di Placido, Bianchi, Canuto e Evangelista; Leyes, Acosta (José Méndez) e Aliendro; Menéndez, Leandro González (Javier Mendoza) e Zampedri

Técnico: Pablo Lavallén

PALMEIRAS: Fernando Prass; Jean, Edu Dracena, Vitor Hugo e Zé Roberto; Thiago Santos e Felipe Melo; Michel Bastos Antônio Carlos), Dudu e Keno (Róger Guedes); Borja

Técnico: Eduardo Baptista