Palmeiras atropela o São Paulo (3-0) e vai às semifinais da Libertadores

·3 minuto de leitura
Patrick De Paula (esq.) comemora com seus companheiros a vitória do Palmeiras sobre o São Paulo pelas quartas de final da Copa Libertadores, em duelo disputado no Allianz Parque em 17 de agosto de 2021

O Palmeiras deu mais um passo rumo ao bicampeonato da Libertadores ao se classificar para as semifinais com uma vitória sobre o São Paulo por 3 a 0 nesta terça-feira no Allianz Parque, após o empate (1 a 1) obtido no Morumbi.

O atual campeão garantiu a vaga na próxima fase vencendo o clássico paulista com gols de Raphael Veiga (11), Dudu (67) e Patrick de Paula (78).

A vitória da equipe do técnico português Abel Ferreira, que comandou o Palmeiras no título da Libertadores-2020, é um duro golpe para o tricolor paulista do ex-atacante argentino Hernán Crespo, que teve um mau início no Campeonato Brasileiro.

Já o Verdão, primeiro semifinalista da atual edição da Libertadores, espera na próxima rodada pelo vencedor do confronto entre River Plate (ARG) e Atlético-MG.

O Galo tem uma vantagem no duelo desta quarta-feira, depois de ter vencido por 1 a 0 em Buenos Aires.

"Foi um jogo importante, primeiro pelo tamanho que representa um Palmeiras-São Paulo e também porque sabíamos do passado desse jogo na Libertadores", onde o tricolor sempre prevaleceu (seis vitórias e dois empates), disse Veiga.

- Especialidade da casa -

O dérbi paulista foi sob medida para o Palmeiras de Abel Ferreira, equipe que se sente à vontade dando a iniciativa ao rival, ao qual pressiona na saída em busca de um erro que depois sabe aproveitar com velocidade e desequilíbrio.

O roteiro foi reproduzido no Allianz Parque, onde o alviverde não vencia o São Paulo desde outubro de 2019, diante de um visitante que se tornou dono da bola, mas não conseguia superar a última linha adversária.

O meio-campo palmeirense conteve um avanço do equatoriano Robert Arboleda em seu campo, roubou a bola e, com a defesa desarmada, Zé Rafael se livrou da marcação de Daniel Alves e abriu para a direita.

Veiga, talismã do treinador português, recebeu e chutou, superando o goleiro Thiago Volpi.

O São Paulo lutou pelo empate, mas faltou profundidade. No primeiro tempo (19), Weverton só foi incomodado em uma bomba rasteira de pé esquerdo de Emiliano Rigoni na entrada da área.

"Devíamos ter disputado o jogo de forma mais agressiva", lamentou o argentino.

- Palmeiras liquida -

Precisando desesperadamente do empate, Crespo colocou em campo o atacante equatoriano Joao Rojas logo no início da segunda etapa. No entanto, o roteiro se repetiu.

O São Paulo continuou com a posse de bola e teve mais mobilidade na área local, mas Weverton teve uma noite tranquila.

Pablo poderia ter marcado (57) depois de receber um passe de Rigoni, que se posicionou entre as linhas adversárias, como o jogo pedia, para depois devolver e deixá-lo quase na cara do gol. Mas o chute do atacante, que se mostrou ansioso, saiu alto demais.

O Palmeiras, invulnerável, jogou com a impotência do rival, que aumentou com a expulsão do meia Vitor Bueno (82).

A defesa tricolor se desorganizou. Danilo recebeu na entrada da área e viu Dudu livre de marcação. Ele fez a conexão e o ex-meio-campista do Dínamo Kiev colocou no canto esquerdo de Volpi.

O segundo gol afundou o São Paulo, que se fragmentou e deixou espaços gigantescos entre a defesa e o ataque. O Verdão aproveitou e liquidou a fatura com um chute de pé esquerdo de Patrick de Paula, de fora da área, após uma bola perdia pela defesa são-paulina. Gol e classificação com selo Abel Ferreira.

raa/gfe/aam

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos