Palmeiras acredita ser capaz de fazer até R$ 700 milhões com as Crias da Academia

LANCE!/NOSSO PALESTRA
·2 minuto de leitura


A temporada de 2020 trouxe muitas glórias ao Palmeiras, com três títulos, premiações e, acima de tudo, uma nova filosofia de gestão que, já no primeiro ano em que foi implementada, teve resultados muito positivos. Esta nova maneira de administrar buscou a diminuição do número de contratações e a aposta em jovens formados nas categorias de base, que ganharam a titularidade e, com isso, ficaram extremamente valorizados. A projeção é que eles podem render, ao menos, €100 milhões (R$681 milhões, na cotação atual) aos cofres do clube, segundo revelou o assessor técnico do Verdão, Edu Dracena, em entrevista ao LANCE!/NOSSO PALESTRA.

– O Palmeiras, de uns anos pra cá, mudou sua filosofia. Demos oportunidades para os meninos da base, acredito que, só neles, o Palmeiras faz 100 milhões de euros, no mínimo. Estamos focando em reforçar o time, mas agora temos de ter calma. Não sabemos o que vai acontecer – disse o dirigente.

A arrecadação desta quantia pode ser feita por meio da venda de diferentes Crias da Academia, como Gabriel Menino, Patrick de Paula, Gabriel Veron e Wesley, que já foram especulados em diversos times europeus. Caso estas transferências se concretizem, o dinheiro arrecadado pelo Maior Campeão Nacional pode auxiliar a cúpula do clube a abater parte das dívidas, que, segundo o balancete mais recente, divulgado em dezembro do ano passado, girou em torno de de R$157 milhões entre os meses de janeiro e setembro de 2020.

>> Confira a classificação do Campeonato Paulista e simule resultados

Além disso, o Alviverde possui outros jovens que, no futuro, podem ser negociados, como Danilo, que ganhou a titularidade com Abel Ferreira, Lucas Esteves e Renan, que adquirem cada vez mais espaço no elenco do Verdão, e diversos outros que estão tendo oportunidades no Paulistão, como Giovani Henrique e Garcia.

Deste modo, o Palmeiras, com esta nova filosofia de gestão, conseguiu, além de conquistar títulos de grande magnitude, criar importantes ativos do clube, que poderão resultar na diminuição de boa parte das dívidas do Verdão.