Palmeiras abre 2 a 0, leva empate do Bahia e sai vaiado do Pacaembu

Thiago Ferri
LANCE!

Uma vitória que parecia sob controle do Palmeiras acabou virando mais uma frustração em um ano já bem abaixo do esperado. Depois de abrir 2 a 0 no Pacaembu nesta quinta-feira, o time levou cometeu dois vacilos graves, cada um no fim de um tempo, e levou o empate nos minutos finais do Bahia, que luta para não cair à Série B.

Com um bom primeiro tempo, o Verdão teve o desfalque de Jean, vetado por desgaste muscular. Isto abriu espaço para Bruno Henrique, já que Tchê Tchê foi improvisado na lateral direita – Mayke estava suspenso.

A entrada do camisa 19 trabalhando com Moisés e Dudu deu força ofensiva ao Palmeiras, que iniciou o jogo marcando no ataque. Foi assim que Dudu roubou a bola, Deyverson cruzou para Moisés, e Willian completou para abrir o placar logo aos dois minutos de partida. O 16º gol do atacante no ano, artilheiro do time.

Parecia um início de noite tranquilo para o Verdão, mas o Bahia, comandado pelo estreante Paulo César Carpegiani, passou a encontrar espaços pelo lado do campo e obrigou Fernando Prass e fazer duas defesas, em chutes de Mendoza (aquele mesmo, ex-Corinthians) e Vinícius.

O segundo gol viria de outra jogada bem trabalhada, com participação de Deyverson, Tchê Tchê e Willian até o gol de Bruno Henrique. Mas a primeira bobeada, no último lance antes do intervalo, fez o Bahia descontar, com Edigar Junio.

No segundo tempo, mesmo com boa atuação, Deyverson ouviu gritos da torcida por Borja. Cuca os atendeu quase imediatamente e trocou os centroavantes. O colombiano criou uma chance, em chute forte que tocou a rede pelo lado de fora, mas a oportunidade mais clara ficou no quase, já que Dudu ao limpar o goleiro Jean não tocou no camisa 9.

Os palmeirenses, já extasiados com Borja, vibraram com outra mudança: a entrada de Felipe Melo, relacionado pela primeira vez depois de 78 dias, e que arrancou mais aplausos dos palmeirenses. Mas a última mudança teve peso decisivo: Róger Guedes entrou aos 40, e com pouco mais de um minuto em campo, fez pênalti em Mendoza. Edigar Junio fez mais um – Prass, que chegou a 246 jogos pelo clube e igualou-se a Evair, quase pegou. Sua atuação, inclusive, evitou um resultado pior.

O Palmeiras volta a escorregar em casa e agora vê o Botafogo a apenas um ponto do seu quinto lugar. O Bahia, com o empate, evita o Z4. Muitas vaias no fim do jogo dos 25 mil palmeirenses que assistiram ao tropeço no Pacaembu.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 2 X 2 BAHIA
Local: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data-Hora: 12/10/2017 - 21h
Árbitro: Rafael Traci (PR)
Auxiliares: Ivan Carlos Bohn (PR) e Luciano Roggenbaum (PR)
Público/renda: 24.299 pagantes/R$ 739.950,00
Cartões amarelos: Edu Dracena (PAL), Renê Junior e Mendoza (BAH)
Cartões vermelhos: -
Gols: Willian (2'/1ºT) (1-0), Bruno Henrique (38'/1ºT) (2-0), Edigar Junio (46'/1ºT) (2-1), Edigar Junio (43'/2ºT) (2-2),

PALMEIRAS: Fernando Prass; Tchê Tchê, Edu Dracena, Juninho e Egídio; Thiago Santos, Bruno Henrique (Felipe Melo, aos 28'/2ºT) e Moisés; Willian (Róger Guedes, aos 40'/2ºT), Dudu e Deyverson (Borja, aos 12'/2ºT). Técnico: Cuca.

BAHIA: Jean; Eduardo, Rodrigo Becão, Lucas Fonseca e Juninho Capixaba; Renê Junior (Feijão, aos 46'/2ºT), Juninho e Vinícius (Rodrigão, aos 25'/2ºT); Zé Rafael (Régis, aos 33'/2ºT), Mendoza e Edigar Junio. Técnico: Paulo César Carpegiani.




























E MAIS:

Leia também