Paixão avalia oportunidades no profissional do Vasco e espera ser utilizado por Barbieri

Paixão tem 18 anos e foi titular nos dois jogos do Vasco no Carioca (Divulgação/Vasco)


O atacante Paixão foi um dos jovens da base que aproveitou a oportunidade no time profissional do Vasco. Titular nas duas primeiras rodadas do Carioca, o jogador mostrou personalidade e foi coroado com uma assistência para o gol de Galarza, no empate em 1 a 1 com o Audax Rio, na útlima quinta-feira.

+ Confira as movimentações do Vasco no Mercado da Bola

- A gente trabalha a vida inteira para ter oportunidades como essas. Temos que aproveitar. Fazer o máximo pelo Vasco e ajudar a conquistar coisas grandes, como o clube é. Fique feliz sim pela assistência, mas queria os três pontos. Agora é trabalhar mais forte e esperar as oportunidades - afirmou Paixão.

O atacante de 18 anos usou a camisa 7, que pertence a Alex Teixeira, que assim como Paixão, é cria de São Januário. O jogador foi só elogios ao ídolo, mas evitou comparações.

- Sei da história do Teixeira, é um grande ídolo do Vasco e joga demais. Craque de bola. Minha responsabilidade só aumentou usando este número, mas me preparei para isso. Ainda tenho muito que aprender, tenho meus pés no chão, mas vamos evoluindo para ajudar o Vasco a conquistar os objetivos na temporada.

+ ANÁLISE: Encostados do Vasco não aproveitam oportunidade em time alternativo

Com o retorno do grupo principal dos Estados Unidos na segunda-feira, o Vasco terá força máxima no jogo do Carioca, contra a Portuguesa, na quarta-feira, no Luso-Brasileiro. A tendência é de que Paixão perca espaço para Orellano e Gabriel Pec. No entanto, o atacante deixa claro que quer receber mais oportunidades.

- Caso o professor Emílio ou Barbieri precisarem, vou dar a minha vida pelo Vasco, como sempre fiz. Fomos muito bem recebidos, a adaptação foi fácil com a comissão técnica. Estarei sempre à disposição do Vasco. Seja no sub-20 ou na equipe principal - finalizou Paixão.