Pai de três crianças, Willian Bigode quer aumentar família após morte do filho durante a gestação

·1 min de leitura


Diante de um novo desafio profissional em 2022, Willian Bigode, que deixou o Palmeiras e acertou com o Fluminense, afirmou que deseja aumentar a família já composta por duas meninas e um menino que ele adotou aos cinco anos de idade. Em outubro de 2021, o jogador passou pela dor de perder um filho, que estava sendo gerado pela esposa.

- Nós recebemos a pior notícia da nossa vida. O Antônio Miguel já era um desejo nosso desde a primeira gravidez da Loisy. Se viesse menino já teria um nome, Antonio Miguel. Aí veio nossa primogênita, a Filipa, sempre continuamos com esse desejo. Depois veio a segunda gravidez, que é a Mariah, mesmo assim... Mesmo com o Dani, a gente quer ter mais um filho. Para alguns é uma loucura, mas para a gente é um desejo muito grande - disse o jogador, em entrevista ao 'Uol'.

O bebê estava na 25° semana de gestação e teve a morte diagnosticada durante um exame de rotina. Willian afirmou que não sabe qual foi o motivo da morte e que recebeu todo o apoio do Palmeiras na época.

- Não sabia se eu caia no chão ou se ficava olhando para Loisy, se segurava ela. Não sabia se eu chorava ou se eu ficava firme com a Loisy. [...] Não tinha uma explicação, não tinha um laudo. Dentro de toda uma perfeição, não havia nenhuma demonstração de complicação - disse.

- Tive que fazer todo esse processo de contratar um caixão, ir para o cemitério, enterrar meu filho. O clube foi muito humano em entender isso - concluiu.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos