Impostos do Simples Nacional: pagamento será adiado; entenda

Redação Finanças
·2 minuto de leitura

 

BRAZIL - 2020/09/05: In this photo illustration the SIMPLES Nacional (MEI) logo seen displayed on a smartphone. (Photo Illustration by Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket via Getty Images)
Medida de adiar pagamento do Simples Nacional já foi tomada em 2020
  • Pagamentos de impostos do Simples Nacional são adiados

  • Medida foi anunciada por assessor especial do Ministério da Economia

  • Decisão será publicada nessa quinta-feira (25) no Diário Oficial da União

O Comitê Gestor do Simples Nacional aprovou nesta quarta-feira (24) o adiamento por três meses dos débitos de micro e pequenas empresas que estão inscritas no programa. A informação foi dada por Guilherme Afif, assessor especial no Ministério da Economia, no Twitter.

Leia também:

A medida já foi tomada em junho de 2020, também devido à pandemia da covid-19, considerando a dificuldade dos pequenos empresários.

Segundo Afif, a medida será publicada no DOU (Diário Oficial da União) nessa quinta-feira (25)

Calendário

Conforme o calendário divulgado, os pagamentos ficarão assim:

  • Parcelas com vencimento em abril: metade pode ser paga em um julho e a outra parte em agosto

  • Parcelas com vencimento em maio: metade do pagamento pode ser feito setembro e a outra em outubro

  • Parcelas com vencimento em junho: metade poderá ser paga em novembro e o restante em dezembro

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O que é Simples Nacional

O Simples Nacional é um regime compartilhado de arrecadação, cobrança e fiscalização de tributos aplicável às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte.

Os impostos abrangidos pelo Simples são: 

  • IRPJ (Imposto de Renda de Pessoa Jurídica)

  • CSLL (Contribuição Social sobre Lucro Líquido)

  • PIS/Pasep

  • Cofins (Contribuição para Financiamento da Seguridade Social)

  • IPI (Imposto sobre Produto Industrializado)

  • ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços)

  • ISS (Imposto sobre Serviços)

  • CPP (Contribuição para a Seguridade Social destinada à Previdência Social a cargo da pessoa jurídica (CPP)