Com PagSeguro e Uber no topo, pesquisa lista 10 startups mais buscadas no Brasil

Yahoo Finanças
PagSeguro. Foto: Divulgação
PagSeguro. Foto: Divulgação

RESUMO DA NOTÍCIA

  • Estudo da empresa de marketing digital SEMRush identificou o crescimento de buscas por empresas de inovação entre janeiro de 2018 e setembro de 2019.

  • Oito das dez startups mais buscadas por brasileiros na internet são unicórnios fundados no Brasil; PagSeguro lidera ranking de buscas online.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Oito das dez startups mais pesquisadas pelos brasileiros na internet são unicórnios (empresas avaliadas em ao menos US$ 1 bilhão) fundados no país, segundo uma pesquisa realizada pela empresa de marketing digital SEMRush em mecanismos de busca.

A informação foi divulgada pelo portal Exame, segundo o qual, só no último ano, empresas como Gympass, Quinto Andar, Loggi e Ebanx entraram para esse grupo, o que ajudou a difundir o conceito no Brasil.

Leia também

Também nos últimos meses, tem crescido o interesse geral por startups. O levantamento da SEMRush aponta que as buscas pelo termo “startup” cresceram de 90,5 mil em junho de 2019 para 135 mil em setembro. A Associação Brasileira de Startups (ABStartups) contabiliza que existam hoje no país 12.760 startups.

Conforme o estudo, a empresa desse setor sobre a qual os brasileiros estão mais curiosos é a fintech de meios de pagamento PagSeguro, que teve mais de 2,8 milhões de buscas mensais entre janeiro de 2018 a setembro de 2019. No terceiro trimestre de 2019, a empresa divulgou que tinha 5 milhões de clientes ativos, em um crescimento de 1,2 milhão nos últimos 12 meses, e lucro de R$ 342,6 milhões.

Em segundo e terceiro lugar no ranking da SEMRush, aparecem as únicas empresas estrangeiras da lista: Uber, com 2,6 milhões de pesquisas, e Airbnb, com 1,6 milhão. Mesmo não nacionais, ambas operam no Brasil.

No Brasil desde 2014, a Uber teve a operação inicial em São Paulo e Rio de Janeiro para atender a demanda da Copa do Mundo de futebol. Em abril de 2019, quando a empresa listou suas ações na bolsa, foi divulgado que no Brasil o serviço estava disponível em mais de 100 cidades, com mais de 22 milhões de usuários e mais de 600 mil motoristas parceiros.

 Já o Airbnb, que começou suas operações no Brasil em 2012 em São Paulo, não divulga muitos números específicos sobre o país, uma vez que é empresa de capital fechado. No entanto, a startup afirma ter gerado R$ 7,7 bilhões em impacto econômico no país em 2018, incluindo refeições, gastos que os turistas têm além de hospedagens. Nesse ranking, o Brasil é o 13º com maior impacto econômico do Airbnb no mundo, informação divulgada pela empresa em julho de 2019.

Ainda conforme a lista, o banco digital Nubank teve 1,3 milhão de buscas. A empresa brasileira é avaliada em US$ 10,4 bilhões e é, pelo segundo ano consecutivo, a startup mais desejada para se trabalhar no Brasil, segundo ranking do LinkedIn. Além disso, em 2019, o banco atingiu a marca de 15 milhões de clientes, sendo 10 milhões no cartão de crédito.

O iFood, foodtech brasileira da holding Movile, vem em quinto lugar, com o registro de 1,2 milhão de pesquisas. Fundada em 2011, a startup recebeu um novo aporte de US$ 500 milhões no começo de novembro, o maior investimento já feito em uma empresa de tecnologia na América Latina. A companhia não abriu o novo valuation, mas afirmou que ela já vale mais de US$1 bilhão há um ano e meio.

Em sexto lugar, aparece a empresa de transporte por aplicativo 99, com 363 mil buscas na internet no período analisado. Fundada em 2012 por Paulo Veras, Ariel Lambrecht e Renato Freitas, a startup foi vendida em janeiro de 2018 por US$ 600 milhões para a gigante chinesa Didi Chuxing, conquistando o valor de mercado de 1 bilhão de dólares. Este ano, a companhia anunciou novidades, como a criação de um serviço de entrega de comidas, o 99Food.

Em sétimo na lista, vem a Gympass, com 234 mil pesquisas. No final de outubro, a plataforma corporativa de atividade física recebeu um novo aporte de US$ 300 milhões liderado pelo conglomerado de telecomunicações SoftBank, o que rendeu à empresa uma avaliação de mais de US$ 1 bilhão.

Em oitavo lugar no número de buscas, está a processadora de pagamentos Stone, com 153 mil buscas registradas no período. A empresa, de capital aberto, reportou lucro de R$ 191,3 milhões no terceiro trimestre de 2019 e uma base de 428,9 mil clientes.

Em nono lugar, está a fintech de pagamentos Ebanx, com 117 mil buscas. A startup, que começou em 2012 processando pagamentos cross-border (transfronteiriços) para negócios como Airbnb, AliExpress, Spotify, Uber e Wish, anunciou em outubro de 2019 que se tornou o primeiro unicórnio da região Sul ao receber um investimento de valor não divulgado feito pelo fundo de capital de crescimento FTV Capital.

Em décimo lugar, por fim, aparece a startup de logística Loggi, com 92 mil buscas na internet. A empresa, criada em 2014 para enviar documentos, conquistou o título de unicórnio em junho de 2019, após uma rodada de investimentos no valor de US$ 150 milhões feita pelos fundos de investimento SoftBank, GGV Capital, Fifth Wall e Velt Partners, além da Microsoft.

Confira o ranking completo de startups mais buscadas pelos brasileiros na internet – a média mensal considera o período entre janeiro de 2018 e setembro de 2019:

1. PagSeguro – 2,8 milhões

2. Uber – 2,6 milhões

3. Airbnb – 1,6 milhão

4. Nubank – 1,3 milhão

5. iFood – 1,2 milhão

6. 99 – 363 mil

7. Gympass – 234 mil

8. Stone – 153 mil

9. Ebanx – 117 mil

10. Loggi – 92 mil

Leia também