Padre ortodoxo é baleado na França, diz polícia

Colaboradores Yahoo Notícias
·1 minuto de leitura
People light candles outside Notre-Dame de l'Assomption Basilica in Nice on October 31, 2020, to pay tribute to the victims two days after a knife attacker killed three people, cutting the throat of two, inside the church of the French Riviera city, and police arrest a young Tunisian migrant from Sfax who arrived in Europe only last month, according to French prosecutors. - The killings came two weeks after a French teacher was decapitated outside his school north of Paris by a suspected Islamist extremist. The teacher had shown his pupils cartoons of the Prophet Mohammed during a lesson on freedom of speech. (Photo by Valery HACHE / AFP) (Photo by VALERY HACHE/AFP via Getty Images)
People light candles outside Notre-Dame de l'Assomption Basilica in Nice on October 31, 2020, to pay tribute to the victims two days after a knife attacker killed three people, cutting the throat of two, inside the church of the French Riviera city, and police arrest a young Tunisian migrant from Sfax who arrived in Europe only last month, according to French prosecutors. - The killings came two weeks after a French teacher was decapitated outside his school north of Paris by a suspected Islamist extremist. The teacher had shown his pupils cartoons of the Prophet Mohammed during a lesson on freedom of speech. (Photo by Valery HACHE / AFP) (Photo by VALERY HACHE/AFP via Getty Images)

Um padre ortodoxo foi baleado neste sábado (31) em uma igreja no centro de Lyon, no sul da França. O religioso foi atingido por dois disparos por volta das 16h (11h, horário de Brasília) ao fechar o templo. O atirador fugiu na sequência. A polícia isolou imediatamente a região.

O incidente aconteceu dois dias depois de um homem ter decapitado uma mulher e matado duas outras pessoas em Nice. O presidente Emmanuel Macron enviou milhares de soldados para proteger lugares como locais de culto e escolas.

Leia também

Há duas semanas, o professor Samuel Paty foi decapitado por mostrar caricaturas de Maomé a seus alunos. Entre os presos, estão dois pais de alunos do instituto onde o educador de 47 anos trabalhava. De acordo com a investigação, eles discutiram por causa da caricatura da figura máxima do islã exibida em sala de aula.

Os muçulmanos acreditam que qualquer representação do profeta é uma blasfêmia. Ministros do governo alertaram que outros ataques de militantes islâmicos poderiam acontecer.

O ataque de Nice, no dia em que os muçulmanos comemoram o aniversário do profeta Maomé, ocorreu em meio à crescente irritação muçulmana em todo o mundo pela defesa da França do direito de publicar caricaturas retratando o profeta.