Pablo defende Fagner e reclama: “Tem mais gente para ser julgada”

O zagueiro Pablo saiu em defesa do lateral direito Fagner em meio à instauração de um processo para averiguar uma agressão do corintiano ao peruano Cueva, durante o clássico entre Corinthians e São Paulo, no último domingo, no estádio de Itaquera, pela semifinal do Campeonato Paulista. Para o defensor, há alguns outros jogadores que também merecem ser julgados pelo Tribunal de Justiça Desportiva (TJD-SP).

“Vou falar da minha parte, se a gente for analisar o jogo, outros jogadores merecem ser julgados também”, disse o defensor, claramente incomodado com as repetições do lance exibidas em programas esportivos desde o final de semana. Ciente de que um processo provavelmente será instaurado sobre o camisa 23, ele frisou sua discordância com a abordagem adotada sobre o tema.

“Estão em cima do Fagner, mas outros merecem ser julgados também. Foi um jogo muito pegado, mas, se for analisar, tem outros jogadores que podem ser envolvidos nisso, tem muito lance que dá para falar de outros jogadores”, avaliou, sem querer especificar sobre qual atleta estaria falando. “Não vou apontar ninguém, não. Tem muita câmera aí, o jogador tem que ficar de cabeça fria para não fazer besteira”, explicou.

No próprio lance envolvendo Fagner, o alvinegro levou uma cabeçada e uma cotovelada do peruano são-paulino, além de desferir um soco nas costas do meio-campista adversário. Cueva, porém, só caiu após uma joelhada acertar sua coxa, quando a jogada já estava bem longe de ambos, levantando segundos depois sem esboçar qualquer reclamação. Na hora do jogo, o juiz Flávio Rodrigues de Souza não observou a troca de agressões.

Defensor ferrenho de um julgamento igual tanto para o companheiro como para o adversário, Pablo não escondeu sua felicidade ao saber que dificilmente o capitão corintiano só será julgado na segunda-feira posterior ao encerramento do Campeonato Paulista, impossibilitando sua suspensão para as partidas da decisão.

“Olha, o Fagner é um jogador de Seleção, tem uma rodagem boa no futebol, experiência grande. É um cara que ajuda muito ali na parte defensiva, então, se não perdermos ele, vai ser de grande importância”, observou o zagueiro, um dos poucos titulares que não está pendurado no elenco.

Dentre a equipe que costuma ir a campo, apenas ele, o parceiro de zaga Balbuena e o goleiro Cássio não têm dois cartões amarelos acumulados, situação que incomoda Fagner, Guilherme Arana, Gabriel, Romero, Maycon, Jadson, Rodriguinho e Jô. Caso um deles seja advertido na partida em Campinas, neste domingo, às 16h (de Brasília), não poderá jogar o segundo duelo da final, no estádio de Itaquera, no dia 7 de maio.