Pérez: "Pneus intermediários teriam explodido com mais uma volta"

Luke Smith
·3 minuto de leitura

Sérgio Pérez foi uma das estrelas do GP da Turquia deste domingo (15), o mexicano confirmou a boa classificação e chegou em segundo lugar, algo que ele não conseguia desde o GP da Itália de 2012. Para isso, teve que segurar os pneus intermediários por 48 voltas até o fim da corrida. A Racing Point optou por parar Lance Stroll a 22 voltas do final, mas manteve o mexicano na pista.

Embora Pérez não conseguisse manter o vencedor da corrida Lewis Hamilton atrás dele, o piloto segurou a pressão dos rivais da Ferrari, Charles Leclerc e Sebastian Vettel, para manter o segundo lugar.

Leia também:

Hamilton vence GP da Turquia e conquista o heptacampeonato da F1 F1: Vettel exalta resultado e diz que queria pôr pneus de pista seca TABELA F1: Hamilton garante hepta com vitória no GP da Turquia

“Eu disse à minha equipe pelo rádio, acho que mais uma volta com aqueles pneus e eles teriam explodido”, disse Perez após a corrida. "As vibrações eram extremamente ruins no final. Acho que isso fez a corrida ser especial, cuidar dos intermediários no início e no final com condições de pista mais seca."

“A equipe fez um trabalho fantástico em termos de estratégia na leitura da corrida. Acho que Lewis hoje estava extremamente forte. Perdemos ritmo no final, mas conseguimos um bom resultado. ”

Pérez inicialmente enfrentou a pressão de Max Verstappen, da Red Bull, após a mudança dos pneus de chuva para intermediários, mas o holandês rodou após uma disputa na saída da Curva 10, ao tentar assumir a posição. O mexicano errou na última volta e viu Leclerc passar momentaneamente na Curva 12, mas o piloto da Ferrari espalhou e perdeu a posição a duas voltas do fim.

“Não consegui ver nada em meus espelhos”, disse Pérez, sobre sua batalha com Verstappen. “Meus espelhos estavam embaçados, então meu engenheiro estava basicamente me dizendo as vantagens de tempo e assim por diante. E então, de repente, vi que Max veio disputar e depois desapareceu."

“Outro momento difícil foi com Charles. Eu não sabia que ele estava tão perto de mim. Portanto, na volta final foi uma batalha muito boa com ele. Ele me ultrapassou na Curva 10, e eu o alcancei de volta na 12. Uma corrida caótica, com um bom resultado para nós.”

Pérez tem apenas três corridas restantes com a Racing Point, a equipe já acertou com Sebastian Vettel para o seu lugar em 2021 e atualmente o mexicano não tem assento para o próximo ano.

Questionado se o resultado foi um ótimo presente de despedida, o piloto respondeu: “Acho que, como sempre, você sabe que tem que entregar tudo fim de semana após fim de semana. Você está tão bom quanto sua última corrida, por isso é importante terminar em alta. O resto não está em minhas mãos.”

Nova parceria com ThePlayer.com, a melhor opção para apostas e diversão no Brasil

Registre-se gratuitamente no ThePlayer.com e acompanhe tudo sobre Fórmula 1 e outros esportes! Você confere o melhor conteúdo sobre o mundo das apostas e fica por dentro das dicas que vão te render muita diversão e também promoções exclusivas. Venha com a gente!

PÓDIO: Chuva traz o caos para o GP da Turquia, mas Hamilton garante hepta

PODCAST: O calendário 'pós-pandemia' de 2021 da F1 é o mais correto?

Your browser does not support the audio element.