Ouro no Mundial de ginástica, Rebeca Andrade fala sobre trajetória, mentalidade e possível aposentadoria


Medalha de ouro no Mundial de ginástica artística disputado em Liverpool, na Inglaterra, na categoria Individual Geral, Rebeca Andrade falou, em entrevista coletiva no ginásio Cláudio Coutinho, localizado na sede do Flamengo, sobre as conquistas recentes no cenário internacional. Aos 23 anos, a atleta do clube e medalhista olímpica e mundial discorreu sobre as metas para o futuro, sua preparação mental e não escondeu, para a tristeza dos fãs, a possibilidade de aposentaria em um futuro próximo.

+ Confira: Flamengo, jornalistas e fãs reagem à conquista de Rebeca

Antes de chegar ao topo, Rebeca passou por três cirurgias delicadas - em 2014, 2015 e 2017. Agora, ostenta o posto de campeã mundial e olímpica - as duas competições mais importantes para uma ginasta.

Na coletiva de imprensa, Rebeca Andrade, que é atleta do Flamengo há mais de 12 anos, fez revelações, falou sobre a sua preparação e não descartou fim de carreira após Paris 2024.

NOVA COREOGRAFIA

Em Liverpool, Rebeca Andrade se sagrou medalhista não só do ouro no Individual Geral - algo nunca antes conquistado por uma ginasta brasileira na história -, mas também do bronze na categoria Solo. Com a música "Baile de Favela", tema das suas apresentações desde 2019, ela conseguiu o terceiro lugar.

No entanto, a relação entre ela e a música se encerrou neste Mundial, visto que uma ginasta pode manter uma coreografia por até quatro anos. Ela se apresentou pela primeira vez com a canção na etapa de Stuttgart da Copa do Mundo, em 2019.

- Por incrível que pareça, a gente não tem ideia ainda de escolha de música, nem de início de coreografia. Eu espero que ele venha porque eu não tenho nada em mente também. Mas com certeza eu vou participar da coreografia, assim como foi em "Baile de Favela", porque a gente consegue colocar coisas que eu gosto de fazer na série - ressaltou.

A ginasta também traçou a grande meta da equipe brasileira: os Jogos Olímpicos de Paris, em 2024. Contudo, para conseguir vaga na competição coletiva, salientou que é necessário dar um passo de cada vez.

Seguindo essa perspectiva, a preparação mental é fundamental. Sobre a sua rotina que antecedeu a competição, Rebeca revelou que a conversa com amigos e familiares é fundamental antes de todos os torneios, além da relação com as colegas de equipe.

- Eu dividi o quarto com a Lorrane (companheira na equipe e no Flamengo), ela me deixa muito tranquila, melhor companheira de quarto não tem. Procuro sempre me colocar no estado mais tranquilo possível. (...) Sempre me mantenho muito tranquila mesmo: escutar músicas, fazer minhas orações, meditar, conversar com amigas e família, tudo isso vai me relaxando para chegar na hora, respirar fundo, botar o sorriso e me apresentar - disse a atleta, ressaltando que os cuidados com o corpo e a mente são muito importantes.

+ Brasil tem desempenho histórico no Mundial de Ginástica Artística; relembre as conquistas

POSSIBILIDADE DE APOSENTADORIA EM UM FUTURO PRÓXIMO

Desde os quatro anos de idade, Rebeca se diverte na modalidade. Aos 13, em seu primeiro ano como profissional, se tornou campeã do Troféu Brasil de Ginástica Artística, superando grandes atletas como Jade Barbosa e Daniele Hypólito.

Depois de alcançar os objetivos mais almejados na carreira nos últimos dois anos, ela deu a entender que pode se despedir dos ginásios em um futuro próximo.

Logo no início da coletiva, quando falou ao público pela primeira vez, Rebeca ressaltou o trabalho do Flamengo como clube formador e se disse honrada pela sua posição de inspiração para as crianças e jovens do esporte, na qual ela quer se manter até encerrar a carreira.

ginastica flamengo
ginastica flamengo

Jovens ginastas acompanham a coletiva (Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

A repórter da FlaTV Luana Trindade, apresentadora do canal oficial do clube, disse que ainda faltava muito para Rebeca se aposentar. Entretanto, a atleta não respondeu e duvidou, de forma tranquila, da afirmação.

Perguntada pelos jornalistas presentes na coletiva, Rebeca ressaltou que, enquanto o corpo dela estiver bem, ela vai seguir na carreira.

- Eu me conheço muito, e sei que está mais para perto do que para longe. Assim que eu sentir que não está indo mesmo, eu vou encerrar, e encerrar com muito orgulho - revelou.

Em seguida, ao ser questionada sobre uma aposentadoria após os Jogos Olímpicos de 2024, que serão realizados em Paris, Rebeca Andrade deixou os seus fãs ainda mais curiosos.

- Vou deixar o suspense - brincou e concluiu.

Na grande conquista do Mundial de Liverpool, Rebeca somou uma pontuação incrível de 56.899 no Individual Geral. Ela iniciou com 15.166 no salto, 13.800 nas barras assimétricas e 13.533 na trave. No solo, último aparelho executado pela brasileira, ela precisava de 12.999 para garantir o título e conseguiu muito mais: 14.400.

*Sob a supervisão de Ricardo Guimarães.