Oscilante, São Paulo sofre para estabelecer sequências de vitórias

Alexandre Guariglia
LANCE!
No último domingo, São Paulo sofreu sua primeira derrota na temporada 2020 (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)
No último domingo, São Paulo sofreu sua primeira derrota na temporada 2020 (Foto: Rubens Chiri/saopaulofc.net)


Contra o Santo André, no último domingo, o São Paulo teve apenas sua primeira derrota na temporada 2020. No entanto, esse não foi o primeiro tropeço do time no ano, já que foi o terceiro jogo sem vitória entre os cinco disputados até aqui. Oscilação de resultados que marca a passagem de Fernando Diniz e as campanhas mais recentes do clube.

TABELA
> Veja classificação e simulador do Paulistão clicando aqui

Até aqui, nesta temporada, a sequência dos resultados são-paulinos é a seguinte: vitória, empate, vitória, empate e derrota. Resumindo, não houve ainda uma série de triunfos, deixando bem evidente a oscilação da equipe. Embora tenha havido uma evolução em relação ao desempenho de 2019 e prejuízos com erros de arbitragem, os placares não são os esperados.

No entanto, foi com o primeiro jogo de 2020 que Fernando Diniz chegou ao seu recorde de vitórias consecutivas no comando do São Paulo: três, que correspondem às duas últimas da temporada passada (Internacional e CSA) e o duelo com o Água Santa. Antes, não havia conseguido passar de dois triunfos seguidos (Avaí e Atlético-MG), em série registrada em outubro de 2019.






A verdade é que o Tricolor, joga bem, chega a empolgar o seu torcedor, mas não embala nos resultados, frenquentemente acaba tropeçando e trazendo de voltas as dúvidas que pareciam estar, aos poucos, deixando de rondar a equipe. O detalhe, porém, é que isso não é uma exclusividade da passagem de Diniz, mas sim uma característica das campanhas recentes do clube.

Entre julho e agosto de 2019, Cuca conseguiu um feito raro, com cinco vitórias consecutivas, todas pelo Brasileirão, que ajudaram na arrancada do time na tabela de classificação. Antes disso, a última grande sequência havia acontecido em agosto de 2018, com quatro triunfos seguidos sob o comando de Diego Aguirre. Naquele ano, outras duas séries de quatro vitórias já haviam sido registradas, uma com o técnico uruguaio e outra com Dorival Júnior.

Em outras palavras, de um ano e meio para cá, o São Paulo vive em uma oscilação que não deixa o time decolar, mesmo nas mãos de cinco treinadores diferentes: Aguirre, Jardine, Mancini, Cuca e, por último, Diniz. Dessa forma, ainda que o desempenho em campo melhore, se o resultado não confirmar a evolução, a tranquilidade para alçar voos maiores não virá.

Até aqui, Fernando Diniz comandou o Tricolor em 22 jogos oficiais, venceu dez, empatou seis e perdeu seis, aproveitamento de 54,5% dos pontos que disputou. Nesse período, vale destacar, o treinador obteve sua maior invencibilidade desde que chegou ao clube: seis jogos. A sequência foi interrompida justamente no revés por 2 a 1 para o Santo André.

O São Paulo volta a jogar no próximo sábado, no clássico diante do Corinthians, às 19h, no Morumbi, quando tentará retomar o caminho das vitórias na sexta rodada da fase de grupos do Paulistão-2020. No momento, o Tricolor ocupa a terceira posição no Grupo C da competição com oito pontos, fora da zona de classificação e atrás de Mirassol e Inter de Limeira, como nove pontos cada.








Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também