'Os jogos estão autorizados, mas clubes que não estiverem seguros não devem sofrer sanções', diz Crivella


A Prefeitura do Rio de Janeiro deu sua chancela oficial para que o Campeonato Carioca volte a ser disputado. No início da manhã desta quarta-feira, no Palácio da Cidade, o prefeito Marcelo Crivella bateu o martelo sobre a retomada da competição após a paralisação devido à escalada da pandemia do novo coronavírus no estado.

- Os jogos estão autorizados e continuam autorizados. E vão haver os jogos. Tenho certeza que a população do Rio, como eu, aguarda ansiosa para ver seus times voltarem a campo. É uma coisa que traz um alento enorme à nossa alma. Todos nós estamos acostumados com o futebol da nossa terra, o melhor do mundo - e emendou:

- Agora há clubes que acham que não devem voltar a campo, no mês do mundo. E foi este pedido, que, como prefeito da cidade fiz com a nossa equipe. Que estes clubes não sofram qualquer tipo de W.O. por isto - completou.




Crivella ratificou sua segurança em relação à segurança do Maracanã. Segundo ele, não há riscos de contaminação de pessoas serem contaminadas por COVID-19 devido ao hospital de campanha estar próximo ao estádio.

- A Vigilância Sanitária liberou e a Vigilância Sanitária é rigorosa. Se liberou, é porque não tem risco a jogadores, técnicos e a todos que vão ao estádio. É esse pedido que fizemos à comissão de saúde, ao colegiado de clubes, ao Rubinho (Rubens Lopes), ao (Leonardo) Ferraz para que ponderem e consigam com a genialidade política uma solução paraa esta controvérsia - disse, referindo-se à postura contrária de Fluminense e Botafogo pelo retorno.

O prefeito ainda falou sobre a partida que marca o reinício da competição.

- Já temos futebol. Grande notícia. Um jogaço: Flamengo e Bangu, no Maracanã. A última vez que estive com o presidente Jair Bolsonaro, ele disse que estaria presente. Não sei se conseguirá...

Representante da Ferj, Leonardo Ferraz falou sobre as datas dos jogos do Fluminense.

- A gente vai decidir e tentar encontrar um caminho para que tudo dê certo. Os jogos estão mantidos. Para o dia 22, o jogo do do Fluminense com o Volta Redonda e o jogo do Botafogo com a Cabofriense. A decisão dos clubes, por maioria, foi essa - afirmou.

O dirigente evitou falar sobre a possibilidade de inclusão de outros dois estádios como alternativas para a reta final da competição.

- É uma pergunta que teríamos que ver com o diretor de competições. Em relação ao Luso-Brasileiro e Conselheiro Galvão, né?! Temos que ver com o diretor de competições (Marcelo Vianna) - disse.


O prefeito Marcelo Crivella cogitou uma possível data para Fluminense e Botafogo voltarem a campo.

- Os jogos de Botafogo e Fluminense podem ser na primeira semana de julho. Falta tão pouco. Já imaginou a gente no coronavírus ver Botafogo e Fluminense perdendo por W.O.? Eu, como botafoguense, não iria gostar.

Único mandatário presente, Nelson Muffarej, do Botafogo, manteve sua posição em relação ao que o Alvinegro fará na competição.

- O Botafogo segue tentando uma conciliação. Respeitamos as vidas dos seus jogadores, de seus familiares e de todo o Brasil e o mundo. Esta curva vemos que já tem um declínio. O Botafogo está começando a se preparar - disse.


Somente o Botafogo foi à reunião com seu presidente, Nelson Muffarej. O Fluminense foi representado por Marcelo Penha, seu coordenador administrativo. O Vasco, por sua vez, não enviou representantes.

A competição não tem partidas desde 16 de março, quando foi paralisada em virtude da pandemia do novo coronavírus. Os jogos serão realizados com portões fechados e seguindo à risca o protocolo "Jogo Seguro".





























Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também