'As pessoas não sabem 10% do que está acontecendo', diz Rafael Sobis sobre a crise no Cruzeiro

Valinor Conteúdo
·2 minuto de leitura


O atacante Rafael Sobis tem sido um dos poucos destaques do Cruzeiro nesta Série B. E, mesmo não tendo chegado ao time desde o início da competição, já deu para sentir que os problemas internos do clube são grandes e tem afetado a todos.

Após a derrota por 1 a 0 para o Oeste, Sobis falou, sem detalhar as situações, sobre o momento complicado dos bastidores.

- É difícil de explicar. Se fosse por merecimento, a gente tinha que ter vencido. A fase é ruim no contexto geral. A gente ataca, bola na trave, o goleiro defende, o outro time faz o gol e a gente não consegue reverter. O momento é difícil, os jogadores que estão aqui são heróis. Muita coisa acontecendo, muito difícil, muito difícil mesmo. As pessoas não sabem 10% das coisas que estão acontecendo. Vamos seguir lutando e honrando nossa camisa e fazer o melhor pelo Cruzeiro até o fim, disse Sobis à TV Globo.

O atacante foi questionado se queria falar sobre os outros 90% dos problemas, mas ele se esquivou e preferiu deixar para outro momento.

-Vou segurar. Na hora certa vocês vão saber. Como perdemos hoje, não é o momento de fazer mais polêmico. É assimilar a responsabilidade, assimilar que não tivemos qualidade para vencer. Na hora certa, vocês vão saber de tudo- completou.

VEJA COMO TERMINOU A 34ª RODADA DA SÉRIE B DO BRASILEIRO

O Cruzeiro deve dois meses de salários aos seus jogadores, as folhas novembro e dezembro, parde de outubro e ainda o 13º salário. A situação tem sido questionada pelos jogadores, pois não recebem um retorno sobre os prazos para conseguir receber os vencimentos.

O elenco protestou e os jogadores do Cruzeiro não se concentraram na Toca da Raposa II para o duelo diante do Oeste, se apresentando apenas para o jogo contra o time paulista na manhã de quarta-feira.

Com a derrota para o Oeste, o Cruzeiro está com 44 pontos, na 13ª colocação, a oito do Paraná, que abre a zona de rebaixamento, e soma 36 pontos. Também está a oito pontos do CSA, primeiro time do G4, na quarta colocação, com 52.