Os erros repetidos que sufocam Domènec e assombram o Flamengo para a Copa do Brasil

Lazlo Dalfovo
·2 minuto de leitura


A conta da fragilidade defensiva do Flamengo tem sido alta. E paga com derrotas acachapantes, como ocorreu nas duas últimas rodadas do Brasileiro. O chiado da panela de pressão passou a ecoar, internamente e externamente, e sufocam Domènec Torrent. Contra o Atlético-MG, foram quatro gols sofridos, culminando na segunda pior defesa da competição, com 29 levados, ao todo.

Até aqui, em apenas três rodadas o Fla não foi vazado (nas vitórias contra Sport, Santos e Coritiba). Há uma nítida dificuldade do catalão em ajustar o sistema defensivo, desalinhado e que sofre com o não entrosamento de uma dupla de zaga, o que é uma das críticas recorrentes ao trabalho de Dome.

Foi o 11º jogo consecutivo que Torrent não repetiu a zaga (veja mais). Pela sexta vez, o técnico optou por Gustavo Henrique e Natan no miolo defensivo, que já teve, ao todo, oito formações distintas quanto às duplas de zagueiros.

Domènec Torrent - Flamengo
Domènec Torrent - Flamengo

Fla de Dome tem a 2ª pior defesa do Brasileiro (Foto: Al. Vidal / CRF)

Mais resignado com as perguntas acerca das falhas do sistema defensivo, Domènec reconheceu a vulnerabilidade do setor, externou que fez dois treinos específicos na última semana e indicou evolução na Copa do Brasil:

- Quando ganhamos e quando perdemos, são todos. Não podemos focar na linha defensiva. Não só os laterais e zagueiros defendem. Todos têm que defender. Para mim, não é a linha defensiva somente. Quando não temos a bola, todos temos que defender, trabalhamos para isso. Acho que estamos focados com isso - falou, emendando:

- Sofremos gols, mas não essa loucura que foram nos últimos dois jogos. Temos um mata-mata em três dias. Somos capazes de fazer um bom jogo, de fazer melhor. Estamos a um ponto do Internacional. Tivemos sorte porque, quando sofremos oito gols em dois jogos, continuamos a apenas um ponto.

O alerta visando a Copa do Brasil está cintilante, uma vez que as corriqueiras falhas defensivas assombram para quarta, sobretudo pelo adversário da vez, o São Paulo, ter mostrado um efetivo antídoto a fim de neutralizar o poderoso ataque rubro-negro e explorar os espaços deixados na fase defensiva.

> Confira a tabela da Copa do Brasil

A ver se Dome, pressionado e com desfalques de peso, como Rodrigo Caio, Isla e, provavelmente Filipe Luís, alinhará o seu discurso à prática e afinará uma engrenagem - hoje - desequilibrada. Em tempo: a reapresentação do elenco será nesta manhã, no Ninho do Urubu.