Os destaques e as decepções das oitavas de final da Champions

Nathalia Almeida
·3 minuto de leitura

Eliminações surpreendentes, heróis improváveis e o início do fim de uma era dominada por dois gênios: as oitavas de final da Champions League reservaram grandes histórias, felizes para alguns e tristes para outros, como é o natural do futebol.

A seguir, destrinchamos os destaques e as decepções da fase de oitavas:

DESTAQUES

A nova geração

Mbappé e Haaland foram os craques das oitavas | Alex Grimm/Getty Images
Mbappé e Haaland foram os craques das oitavas | Alex Grimm/Getty Images

Kylian Mbappé e Erling Haaland foram as grandes estrelas individuais da fase de oitavas, com quatro gols cada. Sem eles, PSG e Borussia Dortmund teriam encontrado grandes dificuldades diante de Barcelona e Sevilla, respectivamente.

As atuações 'de gente grande' dos dois jovens atacantes mostram que a nova geração está sedenta por protagonismo e cada vez mais preparada para emplacar uma 'nova era' na Europa.

Thomas Tuchel

Tuchel foi brilhante na estratégia do Chelsea contra o Atlético | Marc Atkins/Getty Images
Tuchel foi brilhante na estratégia do Chelsea contra o Atlético | Marc Atkins/Getty Images

O técnico alemão ainda está se ambientando ao novo clube, mas provou que tem repertório para colocar o Chelsea nos eixos e tornar o time londrino mais regular/equilibrado. Montou um excelente plano de jogo para os confrontos contra o Atlético de Madrid, anulando o rival na ida e na volta.

Porto desafia os prognósticos

Porto fez história em Turim | Jonathan Moscrop/Getty Images
Porto fez história em Turim | Jonathan Moscrop/Getty Images

Depois do sorteio das oitavas, muitos disseram que a Juventus tinha pego a 'moleza' da vez. Mas não há jogo ganho de véspera e o Porto provou isso: fez história em Turim e avançou com um agregado de 4 a 4, graças aos dois gols de Sérgio Oliveira na Itália. Apesar de toda a diferença de badalação e orçamento, o time luso se superou no coração e contrariou os prognósticos negativos.

Sistema defensivo do City

Defesa do City vive fase soberba | Visionhaus/Getty Images
Defesa do City vive fase soberba | Visionhaus/Getty Images

O Manchester City é o time que menos permite finalizações contra sua própria meta na Champions. A solidez defensiva construída pela equipe vem de um esforço coletivo e da entrega de todos desde os atacantes, mas devemos destacar a grande temporada dos zagueiros do time: Stones, Laporte e Rúben Dias estão voando. Os homens de frente do Gladbach praticamente não viram a bola.

DECEPÇÕES

Diego Simeone

Técnico espanhol não conseguiu escapar da 'armadilha' do Chelsea | Soccrates Images/Getty Images
Técnico espanhol não conseguiu escapar da 'armadilha' do Chelsea | Soccrates Images/Getty Images

Pela qualidade de seu elenco e pelos investimentos feitos nos últimos anos, o Atlético de Madrid deveria entregar mais na Champions League, ou pelo menos competir na eliminatória contra o Chelsea, o que não aconteceu. Os londrinos comandaram a eliminatória, e Diego Simeone não conseguiu encontrar soluções para mudar a cara do confronto.

Cristiano Ronaldo

Cristiano deixou muito a desejar no jogo da volta | Jonathan Moscrop/Getty Images
Cristiano deixou muito a desejar no jogo da volta | Jonathan Moscrop/Getty Images

Cristiano Ronaldo é o único culpado pela eliminação precoce da Juventus? Obviamente não, e falamos sobre isso neste artigo aqui. Mas não podemos negar que a atuação do camisa 7 em Turim foi muito abaixo do que se espera dele e muito aquém de seu próprio padrão nesta competição. Em um jogo decisivo como esse, CR7 não poderia jamais ser 'ofuscado' por jogadores como Rabiot e Cuadrado, muito mais ativos e eficientes que o atacante.