Os 7 piores efeitos especiais da história de Hollywood

Rafael Monteiro
·3 minuto de leitura
"Matrix Reloaded" , "O Retorno da Múmia" e "007: Um Novo Dia Para Morrer": filmes marcados por péssimos efeitos especiais (reprodução)
"Matrix Reloaded" , "O Retorno da Múmia" e "007: Um Novo Dia Para Morrer": filmes marcados por péssimos efeitos especiais (reprodução)

Os efeitos especiais ganharam muito importância no cinema com o passar dos anos. Mesmo em constante evolução, a tecnologia disponível, porém, não garante que filmes de grande orçamento acertem sempre a mão na computação gráfica.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Alguns longas erram tanto, mas tanto, na hora de inserir o CGI (a sigla de Computer Graphic Imagery - as imagens geradas no computador) que acabam marcados para sempre por cenas toscas - que estragam ou quase o conjunto da obra. Relembre alguns exemplos:

Leia também:

Neo contra os agentes Smiths: Matrix Reloaded (2003)

Todo respeito à trilogia "Matrix". Mesmo. Porém, até mesmo os maiores fãs da trilogia reconhecem que o segundo filme conta com uma cena constrangedora. Quem não se lembra dos agentes Smiths, personagens que acabam levando uma surra de Neo (Keanu Reeves)? Revendo a cena hoje, a impressão que dá é que as gravações envolveram não atores de verdade, mas apenas bonecos de borracha. Pelo menos são engraçados.

Macacos na floresta em “Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal” (2008)

Nós também adoramos Indiana Jones. Porém, até os fãs mais ferrenhos da saga sabem que o quarto filme tem o seus problemas. Entre tantos erros, “Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal” chega ao limite do constrangimento com o uso de chroma key durante uma perseguição de macacos ao personagem Mutt Williams na floresta amazônica. O Brasil merecia menção melhor.

Todo o filme: “Cats” (2019)

Aclamado como um dos piores filmes em todos os tempos, "Cats" tem um visual grotesco. Em vez de parecerem gatos, grandes atores, como Judi Dench, Jennifer Hudson, Idris Elba, na verdade, passaram vergonha com personagens que mais parecem seres humanos deformados. Coitados.

O uniforme em “Lanterna Verde” (2011)

O filme que quase sepultou a carreira de Ryan Reynolds tem como um dos grandes problemas o uniforme do seu protagonista. Em vez de investir no figuro, a produção do longa decidiu apostar na computação gráfica para vestir Hal Jordan. Que erro.

O bebê de “Crepúsculo: Amanhecer, Parte 2” (2012)

Muitas produções abdicam de gravar com bebês recém-nascidos - não é fácil encontrar um bom ator mirim com poucos dias de vida. A saga Crepúsculo, no entanto, abusou da boa vontade dos fãs no último filme da saga ao mostrar um nenê horrendo, feito em computação gráfica, como filho de de Bella e Edward. O próprio diretor Bill Condon admitiu o erro em entrevista ao Cinemablend: "aquilo nunca daria certo, e, agora, sinto como se nunca deveríamos ter feito aquilo".

The Rock em “O Retorno da Múmia” (2001)

Antes de se tornar um dos atores mais bem pagos de Hollywood, Dwayne Johnson enfrentou algumas ciladas em Hollywood. Uma delas envolve o seu personagem Escorpião Rei no segundo filme da saga A Múmia: nós acreditamos que o visual de videogame não era proposital.

O surf no gelo de “007: Um Novo Dia Para Morrer” (2002)

Os filmes de James Bond sempre tiveram efeitos especiais bem questionáveis - o que, na prática, é verdade, deixa os filmes antigos ainda mais divertidos. Entre tantos momentos bizarros, nada se compara ao surf na neve de Pierce Brosnan em seu último filme como o agente secreto. É o cúmulo do ridículo.

Ouça o Pod Assistir, podcast de filmes e séries do Yahoo:

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube