Os 5 piores times que ganharam a Libertadores da América

Fabio Utz
90min

Ganhar a Libertadores da América é uma tarefa bem complicada. E, de vez em quando, a surpresa prevalece. Em meio a grandes campeões, sempre tem aquela equipe que ergue a taça sem estar entre os favoritos. É hora, então, de conhecer os cinco "piores" times que alcançaram a glória eterna ao longo da história.


Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

1. Argentinos Juniors - 1985

Talvez poucas pessoas se lembrem que o time argentino tem na sua história um troféu de Libertadores da América. Na final, superou o América de Cali, da Colômbia.



Escalação da final: Enrique Vidallé; Carmelo Villalba (Carlos Mayor), José Pavoni, Jorge Pellegrini (Miguel Lemme), Adrián Domenech; Jorge Olguín, Sergio Batista; Mario Videla, Renato Corsi, Emilio Commisso; Claudio Borghi. Técnico: José Yudica.





2. Atlético Nacional - 1989

Muito embora contasse com nomes como o goleiro Higuita, nem de longe o time colombiano tinha uma escalação daquelas de encher os olhos. Derrotou o Olimpia-PAR nos pênaltis.



Escalação da final: Higuita, Carmona, Perea, Escobar e Gómez; Alvarez, Fajardo (Arboleda), Alexis García e Arango (Pérez); Usuriaga e Tréllez. Técnico: Francisco Maturana.





3. Colo-Colo - 1991

O futebol chileno tem, sim, um título de Libertadores. E foi conquistado pelo time de Santiago em uma final contra o Olimpia-PAR.



Escalação da final: Morón; Garrido, Miguel Ramírez, Margas e Mendoza (Herrera); Vilches, Espinoza, Pizarro e Peralta; Barticciotto e Pérez. Técnico: Mirko Jozic
.





4. Olimpia - 2002

Muito embora o time paraguaio tenha tradição em Libertadores, não estava nem de longe entre os favoritos daquele ano. Mas garantiu a taça em uma inesperada decisão de pênaltis contra o também surpreendente São Caetano.



Escalação da final: Tavarelli; Isasi, Cáceres, Zelaya e Da Silva; Enciso, Quintana, Orteman e Córdoba (Caballero); Benitez (López) e Baez (Franco). Técnico: Nery Pumpido.





5. Once Caldas - 2004

Quem diria que os colombianos, depois de eliminarem Santos e São Paulo, pudessem superar o não menos poderoso Boca Juniors? Pois superaram, nos pênaltis, e ficaram com a taça.



Escalação da final: Juan Carlos Henao; Miguel Rojas, Samuel Vanegas, Edgar Cataño e Edwin García (Wílmer Ortegón); Rubén Darío Velásquez, John Viáfara, Elkin Soto e Dairo Moreno (Jefrey Díaz); Arnulfo Valentierra e Herly Alcázar (Jorge Agudelo). Técnico: Luis Fernando Montoya.





Leia também