Os 5 piores camisas 10 da história do Grêmio

Fabio Utz
·2 minuto de leitura

Ser camisa 10 não é para qualquer um, ainda mais em clube grande. Ao longo da história, nomes como Ronaldinho Gaúcho, Tita, Paulo César Caju, Iúra, Vilson Tadei, Douglas e Marcelinho Paraíba brilharam pelo Grêmio vestindo o número que é referência no futebol. Agora, é a vez de Jean Pyerre ter esta oportunidade. Ele que se inspire nos nomes citados e não naqueles que podem ser considerados os cinco piores 10 de todos os tempos do clube.

1. Thiago Neves

Pedro Vilela/Getty Images
Pedro Vilela/Getty Images

Assim como chegou, saiu. Contratado sem qualquer tipo de convicção no início de 2020, não jogou nada. Coube à direção por fim ao seu contrato antes do previsto.

2. Luciano Ratinho

A direção o anunciou como grande jogador. Mas, para isso, faltava muito. Ajudou o Tricolor a sucumbir em uma temporada que culminou com o Grêmio sendo rebaixado pela segunda vez à Série B.

3. Juninho

O Grêmio disputava a Série B em 1992 e parecia que continuaria no inferno. Isso graças a nomes como Juninho, que em nada tinham a ver com a história do clube.

4. Caio

Até tinha lá suas qualidades, jogava com raça. Mas camisa 10 que coloca o Grêmio na segunda divisão precisa estar nesta lista, não adianta. Foi assim em 1991, ano do primeiro rebaixamento tricolor.

5. Felipe Melo

Embora seja um grande jogador, no Grêmio não deu certo. Foi outro a vestir a 10 na fatídica temporada de 2004, quando o time acabou rebaixado.