Organizadores da Paralimpíada veem situação "muito difícil" com hospitais repletos de casos de Covid

·1 minuto de leitura
Símbolo instalado para os Jogos Paralímpicos de Tóquio, no Japão

Por Ju-min Park

TÓQUIO (Reuters) - A Paralimpíada de Tóquio será realizada em circunstâncias "muito difíceis", disseram seus organizadores nesta sexta-feira, já que os hospitais da cidade-sede estão sobrecarregados no momento em que o Japão enfrenta sua pior onda de infecções de Covid-19, impulsionada pela variante Delta.

Faltando menos de uma semana para o evento, o jornal Asahi noticiou nesta sexta-feira que um hospital de Tóquio recusou um pedido dos organizadores para receber casos de emergência dos Jogos, priorizando pacientes locais com Covid-19.

"Olhando a situação médica, não podemos evitar dizer que faremos a Paralimpíada no meio de uma situação muito difícil", disse Hidemasa Nakamura, autoridade responsável pela realização da Tóquio 2020, em uma coletiva de imprensa.

"O que fazemos se tivermos um caso que fica gravemente doente, dada a situação apertada dos leitos de hospital? Temos que ter um fluxo de contato alinhado e incluir os hospitais e instalações médicas neste fluxo de contato."

Os organizadores disseram que adotarão protocolos contra a Covid-19 na Paralimpíada, o mesmo "manual" usado durante a Olimpíada, que terminou no início deste mês.

Exames frequentes e outras restrições, como limitar a circulação de atletas e autoridades, mostraram-se eficazes para minimizar os riscos de infecção, acrescentaram.

(Reportagem adicional de Rikako Maruyama)

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos