Organização de Tóquio-2020 diz que futuro líder de comitê deve ter forte conhecimento de igualdade de gênero

·1 minuto de leitura

TÓQUIO (Reuters) - Quem quer que se torne o próximo presidente do comitê organizador das Olimpíadas de Tóquio deve ter um profundo conhecimento sobre igualdade de gênero, disseram os organizadores nesta terça-feira, depois que o ex-líder Yoshiro Mori renunciou por conta de comentários sexistas.

Os preparativos para os já adiados Jogos Olímpicos enfrentaram um novo turbilhão após os comentários feitos neste mês por Mori, que acabou renunciando na última sexta-feira.

Em sua primeira reunião nesta terça-feira, o comitê de seleção de candidatos para chefiar os preparativos para Tóquio-2020 concordou em cinco requisitos para eleger o futuro líder, incluindo um profundo entendimento da igualdade e diversidade de gênero e a capacidade de atualizar esses valores durante os Jogos, disseram os membros do comitê em comunicado.

Entre outras qualidades exigidas estão perfil internacional e experiência no cenário global.

"O comitê fará sua seleção de candidatos para presidente do comitê organizador de Tóquio-2020 de acordo com esses cinco critérios o mais rápido possível", disseram eles.

(Por Ju-min Park)