Organização da Red Bull, carinho pelo Timão... Campeão no Bragantino, goleiro Júlio César abre o jogo ao L!

Gabriel Santos e Vinícius Perazzini
LANCE!
Júlio César foi um dos destaques do Bragantino na temporada (Foto: Divulgação)
Júlio César foi um dos destaques do Bragantino na temporada (Foto: Divulgação)


Capitão e campeão da Série B deste ano pelo Bragantino, o goleiro Júlio César, de 35 anos, é um dos ídolos do elenco do clube, que promete se destacar ainda mais no cenário nacional na próxima temporada, com o patrocínio da Red Bull.

Após 13 anos no Corinthians, onde conquistou dois Brasileiros (2005 e 2011), dois Paulistas (2009 e 2013), Série B (2008), Copa do Brasil (2009), Libertadores (2012), Mundial de Clubes (2012) e Recopa Sul-Americana (2013), Julio rodou por alguns clubes como Náutico e Santa Cruz, até chegar ao Red Bull Brasil, no começo de 2018, e permanecer no elenco na junção com o Bragantino, em 19.

Ao LANCE!, ele conta como vem sendo a experiência no Massa Bruta, o carinho que ele tem pelo Corinthians e também a expectativa para a próxima temporada, onde ele irá disputar o Paulistão e o Brasileiro da Série A.

LANCE! – Como foi entrar no Brasileiro da Série B com a pretensão do título e conseguir o objetivo? Como foram os meses de trabalho?

Foi um ano muito bom para o clube, mas foi um ano de muito trabalho, muita entrega, concentração, e muitas viagens. Foi uma competição boa, mas que tivemos muitas dificuldades. Porém, quando conquistamos o objetivo final, tudo vale a pena, todo esforço e cada viagem desgastante.

L! – Qual a experiência de vestir a camisa do Bragantino, um clube de tanta história e tradição?


É especial, um clube que tem uma tradição enorme, já foi campeão brasileiro (duas vezes da Série B), campeão paulista. Uma cidade que ama e respira futebol, é bom estar em um lugar como esse. Toda hora você está pensando em futebol, quando encontra as pessoas na rua, dá para ver o carinho que elas têm com o clube.

L! – Você disputou o Campeonato Paulista pelo Red Bull Brasil, no primeiro semestre da temporada. Como você e seus companheiros reagiram ao saber da junção com o Bragantino?


Nós ficamos tranquilos em relação ao projeto, porque sabíamos que a Red Bull é uma empresa séria. Eu estava há mais de um ano no RB, sabia das condições do clube. A minha preocupação era com a reação das pessoas, se o estádio ia lotar, se a torcida iria comparecer. Mas a partir do primeiro jogo, quando eu vi que o pessoal abraçou a ideia, fiquei mais tranquilo em relação ao processo.













L! – Todos falam que o Red Bull tem um pensamento mais à frente de outros clubes, com um padrão europeu. O clube é realmente organizado? O que você viu que não tinha visto em outros times que você passou?


Acredito que além da estrutura e organização que são muito boas, aqui é um lugar onde os dirigentes pensam mais na razão do que na emoção. Muitas vezes, os times são dirigidos por pessoas que torcem por eles, que amam o clube, e a emoção leva a você a fazer algumas coisas que não são certas no momento. Isso não acontece no Bragantino. Sempre estão fazendo as coisas com a norma da empresa, temos um caminho a seguir, independentemente de vitória ou derrota, isso nunca muda. É a maior virtude deles.

L! – Quais as expectativas para o próximo ano, especialmente para o Campeonato Paulista?

A princípio pensamos na classificação à próxima fase do Campeonato Paulista, um campeonato curto e difícil. Vamos primeiramente com esse pensamento, para podermos enfrentar o Corinthians nas quartas de final.

L! – O presidente do Bragantino, Marquinho Chedid, falou em buscar o título. Vocês do elenco já pensam em ser campeões, chegar à final? Tem alguma meta em relação a isso?


Eu acho que o principal objetivo é a classificação à próxima fase. Nós esperamos ir amadurecendo e crescendo ao longo da competição, para que nós possamos brigar pelo título. Mas é óbvio que, como eu sei como as coisas funcionam aqui no clube, o primeiro pensamento é conseguir o título. O segredo é ir indo passo a passo.

L! – Como é para você e o elenco se preocuparem somente com o trabalho, já que o Bragantino é um clube que paga em dia. O quanto isso ajuda na temporada?


Ajuda muito, é meio caminho andado. Você só se preocupar com futebol e saber que o que foi acordado com você será cumprido tem muito impacto. Os jogadores aqui têm família, alguma pessoa para cuidar. Tendo essa tranquilidade, você pode se programar, fazer as coisas certinho. Isso é muito bom, nos deixa tranquilos para entrarmos em campo e pensarmos somente no futebol.

L! – Como é o carinho com a torcida do Bragantino?


É legal, aonde você vai o pessoal te reconhece, sabem do que está acontecendo. Antigamente, o pessoal me reconhecia pelo Corinthians, mas agora me reconhecem pelo trabalho que eu faço no Bragantino, o que é muito especial para mim.

L! – Você vai voltar a disputar o Brasileirão depois de seis anos. Como está sua expectativa?



Bate um pouquinho de ansiedade, mas sei da minha experiência. Estou feliz em poder voltar à primeira divisão. Quero curtir as férias, me cuidar, para estar em plena forma no começo da temporada. Sei que não vai ser fácil, mas estamos preparados.

L! – Há notícias que a Red Bull irá investir bastante em contrações para 2020. O elenco está ansioso pelos reforços para a próxima temporada?


Conversamos um pouco sobre as especulações, mas sabemos pouco. Temos a consciência que vão chegar muitos atletas para qualificar o elenco, ainda mais sabendo a forma que trabalhamos aqui. Precisamos ter um grupo de bom nível, pois sem isso, não chegaremos a lugar nenhum na temporada.

L! – Como você vê o novo jeito dos goleiros jogarem, participando mais das construções das jogadas? Precisou se reinventar para se adequar ao estilo?


Olha, sempre gostei de jogar com os pés, mas nunca fui incentivado a fazer na minha carreira. É uma atualização na posição, que precisa ocorrer, os meninos da base quando sobem já sabem fazer, é um caminho que não tem mais volta. Fico feliz de participar do processo, me sinto mais participativo nas construções das jogadas.

L! – Os jogos do Bragantino passam na TV e vimos que você está em excelente forma. Você acredita que esta é a sua melhor fase da carreira, já que você atingiu uma maturidade?


Pela maturidade, é uma das melhores fases da minha carreira. Estou num ano muito bom, muito sólido. Foi uma temporada muito especial, que vou guardar para sempre no meu coração. Quero que ano que vem seja de mais conquistas, buscando sempre mais.

L! - Muitos torcedores do Corinthians te parabenizaram pelo acesso e pelo título. Como é seu carinho pelo clube?


O carinho é enorme, só tenho a agradecer ao Corinthians por tudo o que fez por mim, nunca escondi isso de ninguém. É o clube do meu coração, que eu torço e vou torcer sempre. Tento responder o máximo possível aos torcedores, porque não tenho como esquecer o que eu passei lá dentro. Vivi 15 anos lá dentro, uma trajetória de muitas conquistas e que vai ficar para sempre na minha memória.

L! – Você pensa em voltar ao clube algum dia, seja como jogador, dirigente, ou trabalhando nos bastidores?



Eu quero voltar ao Corinthians algum dia, porque é o clube que eu gosto, acho que tem muita coisa que preciso fazer ainda para conseguir atuar no meu pós-carreira. Quero trabalhar em uma área dos bastidores, mas se tiver um convite para voltar como goleiro, quem sabe.





























Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também