As opções - e os gastos - para ver futebol no Brasil aumentaram

LANCE!
·4 minuto de leitura


A Medida Provisória 984, publicada pelo Presidente da República Jair Bolsonaro no mês de junho, e a infinidade de opções de canais e streaming mudaram a forma de o torcedor consumir futebol no Brasil. Com o aumento de opções para acompanhar as partidas, o fã do esporte mais popular do país sentiu no bolso a mudança. Ao todo, o torcedor terá de desembolsar algo em torno de R$ 3 mil para assinar todos os serviços de pay-per-view e ter acesso aos jogos - isso, claro, caso ele opte por isso.

A chegada da Conmebol TV é um bom exemplo dessa mudança. O amante de futebol que quiser acompanhar os jogos decisivos da Copa Libertadores e da Copa Sul-Americana, principais torneios do continente, terão de desembolsar R$ 39,90 por mês. O valor considerável se pensarmos que os confrontos desses torneios eram transmitidos pelos canais SporTV e Fox Sports, presentes na maioria dos pacotes de TV por assinatura.

Vale destacar que a mudança ocorreu após o Grupo Globo romper o contrato de transmissão da Libertadores após não conseguir renegociar os valores com a Conmebol. A entidade fechou uma parceria com o Grupo Band para produzir e distribuir o conteúdo. Já na TV aberta, os direitos foram adquiridos pelo SBT.

Bruno Maia, executivo de marketing e sócio da 14, agência de conteúdo estratégico, comenta o novo cenário.

- Por mais apaixonado que seja por um time, o torcedor gosta de ver futebol de uma maneira mais ampla e ele acaba assistindo a outros jogos além dos do seu time. A questão é que havia um modelo em curso já há muitos anos, que sustentava e ainda sustenta o futebol brasileiro em muitos termos, e foi colocado para baixo sem nenhuma previsão sistêmica de como funcionaria o ambiente competitivo - e completa:

- O que está acontecendo aqui já aconteceu na Itália, na Alemanha. O Brasil tinha uma oportunidade de avaliar alguns erros dessas experiências para sair na frente, mas estamos jogando fora essa oportunidade pela falta de informação, profissionalismo e seriedade nessa discussão. E também por conta da politização, que nos trouxe a esse cenário - finaliza Maia.

Já Marcelo Palaia, especialista em marketing esportivo e professor sobre o tema na ESPM, aposta que os valores fazem com que o público migre para outros meios de consumo.

- É um valor alto para a média de salário do público brasileiro. Temos uma renda per capita mais baixa, é um fator que pode vir a prejudicar essa linha de receita dos clubes, e as pessoas que não tem renda tão altas começam a migrar para outras opções em que ele não paga. Os valores poderiam ser mais acessíveis - explica.

- Essas cifras, além de assustar quem tradicionalmente investe em futebol como entretenimento, reforça a ideia que há muito tempo é discutida pelo mercado de transmissão: a personalização de pacotes. Aos poucos o torcedor/consumidor vai notar que para muitos deles não faz sentido comprar jogos isolados (preço individual muito alto) ou o pacote completo (só assistem 20% das partidas). O ideal para o consumidor é também ter à disposição o pacote específico do seu clube - aponta Wagner Vilaron, CEO na LMiD, agência de marketing esportivo, antes de concluir:

- Além de gastar menos, ele pagará apenas pelo que vai consumir, acabando com aquela sensação de desperdício por ter pagado por um monte de jogos que nunca vai assistir. No mais, importante destacar que, para o mercado, quanto mais canais de TV apostarem no futebol como diferencial na briga pela audiência, melhor, mesmo que o interesse de alguns seja apenas pontual, como mostra a história.

Confira os serviços disponíveis para assistir futebol:

Premiere Futebol Clube - Principal serviço de pay-per-view. O torcedor consegue assistir todos os jogos do Campeonato Brasileiro dos clubes que tem acordo com a plataforma (apenas o Athletico (PR) não possui). Pode-se acompanhar também os campeonatos regionais e alguns confrontos da Copa do Brasil. O assinante gasta R$ 858,80 por ano.

DAZN – Serviço de streaming que oferece um jogo por rodada do Campeonato Inglês e a Copa da Inglaterra como principais opções para o torcedor. Também transmite partidas da série C do Campeonato Brasileiro por R$ 238,80 por ano.

EI Plus – É o streaming da operadora Turner. O torcedor paga R$ 166,80 por ano e tem a disposição as partidas da Liga dos Campeões, Eliminatórias Europeias e a Liga das nações, além de alguns jogos do Campeonato Brasileiro.

Conmebol TV – É o pay-per-view da Libertadores e da Copa Sul-Americana. O torcedore desembolsa R$ 39,90 por mês para assistir as principais competições do continente. O serviço está disponível apenas na Claro ou Sky.