Site de nudes é alternativa para apimentar relação e ganhar dinheiro

Natália Eiras
·3 minuto de leitura
Luana e Arthur estão no Onlyfans em tempos de pandemia (Foto: Arquivo Pessoal)
Luana e Arthur estão no Onlyfans em tempos de pandemia (Foto: Arquivo Pessoal)

O casal Luana Kazaki, 24, e Arthur Urso, 34, já eram adeptos do swing, mas, durante a pandemia, sem poder fazer os encontros com outros casais, eles decidiram matar o tédio fazendo um perfil de casal no OnlyFans, site em que pessoas pagam a assinatura de canais e ter acesso a nudes. “Sempre tivemos curiosidade em relação à plataforma, mas decidimos investir quando passamos a ficar em casa devido ao confinamento social”, conta Urso. Eles estão há oito meses no site. “Foi a nossa saída, usar o site como entretenimento.”

Desde que o OnlyFans começou a bombar não só no meio fetichista, mas também no mainstream, muitos casais têm optado por criar perfis juntos na plataforma como uma forma de apimentar a relação a dois e, quem sabe, ganhar uma graninha a mais.

Leia também

A segunda situação foi o caso do fotógrafo Rodrigo Cordeiro, 29, e seu companheiro Artur Castro, 35, conhecidos no site como Casal 69. “Sempre gostamos de nos exibir, tínhamos um blog onde retratávamos nosso cotidiano com nu artístico. Aí, há dois anos, conhecemos a plataforma, eu estava desempregado e surgiu a vontade de experimentar”, fala o rapaz. O dinheiro que entra ajudou na época de aperto e também durante a pandemia. “Foi um bom complemento. Ainda mais porque no site a gente recebe em dólar e, com o câmbio, não ficou muito difícil receber uma graninha boa pelo conteúdo.”

O casal Rodrigo Cordeiro, 29, e seu companheiro Artur Castro (Foto: Arquivo Pessoal)
O casal Rodrigo Cordeiro, 29, e seu companheiro Artur Castro (Foto: Arquivo Pessoal)

Luana e Arthur, por sua vez, encontraram na plataforma uma maneira de esquentar novamente a vida sexual e também a sua principal fonte de renda. “Jamais passou por nossa cabeça que o exibicionismo seria a nossa fonte de prazer”, diz o rapaz.

Porém, a renda extra e a distração não foram os únicos benefícios trazidos pela plataforma, segundo os casais entrevistados. Compartilhar nudes juntos também os ajudou a se aproximar emocionalmente e a criar confiança. Rodrigo e o companheiro, por exemplo, não são muito adeptos das trocas de casais. “Gostamos mesmo é de fazer os vídeos juntos”, diz o fotógrafo. O hobby de compartilhar imagens eróticas, no entanto, já tinha sido motivo de discussões antes do OnlyFans de casal. “Antes, cada um postava algo na sua própria rede social e isso vez ou outra causava briga, por conta do ciúmes. Um achava que o outro estava em busca de alguma coisa compartilhando aquele conteúdo sozinho. [Depois de entrarem na plataforma] Isso já não acontece mais com a gente”, fala Rodrigo.

No caso de Luana e Arthur, que já tinham uma relação liberal, mas costumavam separar muito bem a individualidade de cada um. “Vivíamos em dois mundos completamente diferentes”, diz Urso. O hábito é benéfico, mas eles sentiam falta de fazer mais coisas juntos. O que mudou quando eles entraram na plataforma durante a pandemia. “De cara, nos aproximamos. Começamos a dividir mais as tarefas de casa, treinar juntos na academia, fazer compras no supermercado”, fala Arthur. “Nos tornamos o oposto. Foram mudanças radicais, porém positivas.”

Assim como em toda relação, o diálogo é importante. E isso se torna ainda mais crucial ao se expor na internet, já pode não ser fácil lidar com o olhar de desejo de outras pessoas sob o corpo de seu companheiro. “Por isso o OnlyFans nos ajudou a conversar mais sobre certos tabus e desconstruir o conservadorismo no nosso relacionamento”, complementa Rodrigo.