Lotado em meio à pandemia, ônibus é tomado por fumaça no RJ e obriga passageiros a saírem às pressas

Yahoo Notícias
Passageiros são obrigados a evacuar ônibus no RJ - Foto: Reproducão/TV Globo
Passageiros são obrigados a evacuar ônibus no RJ - Foto: Reproducão/TV Globo

Mesmo com números preocupantes da pandemia do novo coronavírus, o Estado do Rio de Janeiro inicia uma flexibilização após decreto do governador Wilson Witzel (PSC). Nesta segunda-feira (08), como se já não bastasse a aglomeração dentro do transporte público, passageiros precisaram descer às pressas de um ônibus em Guaratiba, na Zona Oeste do Rio de Janeiro, depois de uma grossa fumaça tomar o interior do veículo.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

O momento foi transmitido ao vivo já que uma equipe da TV Globo estava no veículo, mostrando o retorno da rotina da população fluminense após a quarentena mais rígida no estado. De acordo com a emissora, o motorista explicou que houve um problema na correia do ônibus.

Leia também

Em nota publicada pelo portal G1, o consórcio BRT afirmou que a manutenção dos veículo é feita regularmente, porém "as pistas em péssimo estado de conservação colaboram para o aumento no número de quebras ao longo dos percursos".

Decreto de flexibilização

No decreto publicado em edição extra do Diário Oficial do Rio na noite de sexta-feira (05) que flexibiliza as medidas de isolamento social, o governador Wilson Witzel determina que alguns setores da economia funcionem com o horário restrito a partir deste sábado (07). Entre eles estão os shoppings centers e centros comerciais, que funcionarão das 12h às 20h, com público máximo de 50%, além de outras restrições. Áreas de recreação, como cinemas, continuarão fechados.

No texto, o governador afirma que a secretaria de Saúde pode aumentar ou diminuir os setores autorizados a reabrir dependendo das análises do avanço da pandemia. O estado do Rio de Janeiro registra mais de 6 mil mortos pela Covid-19.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

O decreto não impõe o fechamento de poucos setores, como locais de realização de eventos — cinemas e casas de shows, escolas e universidades e academias.

Siga o Yahoo Notícias no Instagram, Facebook, Twitter e YouTube e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Leia também