Oliveira vê ‘ponto importante’ e nega briga com Dorival: “Não terá bronca”

Aos 24 minutos do segundo tempo da partida entre Santos e Santa Fe, nesta quarta-feira, pela terceira rodada da fase de grupos da Copa Libertadores, subiu a placa no estádio El Campín, em Bogotá, na Colômbia, anunciando a saída de Ricardo Oliveira para a entrada de Copete. Ao ver que seria substituído, o centroavante demonstrou insatisfação e saiu de campo irritado, tanto que chegou a chutar um copo d’água no banco de reservas.

Com a cabeça fria após o apito final, porém, o camisa 9 admitiu que não queria sair de campo, mas negou qualquer problema com o técnico Dorival Júnior.

“Tem hora que a gente sente que pode aportar. Não queria sair, mas é normal. Tem horas que você está mal no jogo, mas tem outras que você acredita que pode dar mais. Mas existe sempre o respeito ao Dorival. Faz parte do jogo, só queria permanecer para ajudar. Não vai ter bronca. Super de boa. Eu nunca fiz isso. Era só a ânsia de querer ficar em campo, mas não foi desrespeito com o treinador e com quem entrou”, explicou Oliveira na saída do gramado em Bogotá.

Mesmo com a saída do camisa 9 e a entrada de Copete, o Santos não conseguiu marcar no estádio El Campín e ainda sofreu uma pressão do Santa Fe nos últimos minutos da partida, após a expulsão de Jean Mota. Para Oliveira, o Peixe até poderia ter saído com a vitória. Porém, levando em consideração as circunstâncias do jogo, o centroavante ficou satisfeito com a igualdade.

“Acho que sim (empate importante). Foi um jogo muito disputado, como havíamos previsto. Conseguimos em alguns momentos ter oportunidades de gol, mas precisamos valorizar esse ponto e a dedicação de todo o grupo”, concluiu o atacante santista.