Janne Müller-Wieland: A paixão pelo hóquei sobre grama corre no sangue

·5 minuto de leitura

No momento, Janne Müller-Wieland está se sentindo um pouco frustrada. Apesar de isso não ser um hábito seu. Com 34 anos, a natural de Hamburgo é normalmente uma pessoa alegre. Quando a jogadora de hóquei entra em uma sala, ela a preenche com seu carisma positivo. Müller-Wieland é uma figura. Agora, no início do verão de 2021, um pouco antes dos Jogos Olímpicos, ela teve um revés inesperado. O técnico da seleção, Xavier Reckinger, cortou-a inesperadamente da equipe para Tóquio. Um choque que ela está achando difícil superar.

Müller-Wieland disputou mais de 300 partidas internacionais pela Federação Alemã de Hóquei. Ela era capitã da seleção até recentemente. Ela era a líder e, também, o coração da equipe. Sua experiência deveria ajudar a jovem equipe a obter um desempenho surpreendente nos Jogos Olímpicos. Talvez não fosse ouro ou mesmo prata. Isso seria esperar demais. Mas uma medalha de bronze estaria a seu alcance.

RIO DE JANEIRO, BRAZIL - AUGUST 17:  Janne Muller-Wieland of Germany celebrates scoring a goal during the penalty shootout in the womens semifinal match between the Netherlands and Germany on Day 12 of the Rio 2016 Olympic Games at the Olympic Hockey Centre on August 17, 2016 in Rio de Janeiro, Brazil.  (Photo by Mark Kolbe/Getty Images)
Janne Müller-Wieland comemora um gol nos Jogos Olímpicos de 2016 no Rio (Mark Kolbe/Getty Images)

E agora? Está tudo acabado. Ela quer se esconder. Tóquio deveria ser o ponto culminante de sua extraordinária carreira internacional. Agora, será uma discreta despedida internacional. Ainda assim, isso não manchará seu legado esportivo. Janne Müller-Wieland tem conquistas demais para que isso ocorra. O fato de não ter sido incluída na seleção alemã não diminui em nada seus triunfos no hóquei sobre grama.

A meio-campista foi vitoriosa em praticamente tudo o que se pode vencer como jogadora de hóquei sobre grama em sua carreira: Müller-Wieland venceu diversas copas alemãs e europeias de clubes com sua equipe, a UHC Hamburg. Além disso, ela venceu o campeonato europeu em 2013 com a seleção alemã e, em 2018, obteve o ouro por equipes na Copa do Mundo de Hóquei Indoor, em Berlim. A natural de Hamburgo participou de três Jogos Olímpicos. No Rio, em 2016, um de seus maiores sonhos se realizou quando ela ganhou a medalha de bronze.

A paixão pelo hóquei sobre grama corre no sangue

Pode-se dizer que a atleta de 34 anos nasceu com o taco de hóquei sobre grama nas mãos. Sua mãe, Anja, uma conselheira educacional de Hamburgo, havia sido, ela própria, uma jogadora bem-sucedida de hóquei sobre grama e, com o Harvestehuder Tennis und Hockey-Club, venceu o campeonato alemão duas vezes e a Copa Europeia para campeões nacionais nos anos 70. “Nunca fizemos pressão sobre criança alguma em casa”, conta Anja. O amor pelo esporte cresceu orgânicamente.

Horst e Anja Müller-Wieland em uma entrevista (Yahoo Esportes Alemanha)
Horst e Anja Müller-Wieland em uma entrevista (Yahoo Esportes Alemanha)

A própria irmã mais velha de Janne, Roda, joga hóquei no UHC e, por muito tempo, ambas as irmãs jogaram juntas pela mesma equipe. Seu pai, Horst, foi apresentado ao hóquei sobre grama por suas filhas e começou uma carreira amadora com uma idade um pouco mais avançada. A família Müller-Wieland é louca pelo hóquei sobre grama e, na capital alemã dessa modalidade, seu nome é conhecido por muitos fãs do esporte. Em 2011, Janne Müller-Wieland chegou a ser eleita a atleta do ano de Hamburgo.

Naturalmente, ela passou por muita coisa em sua carreira. Ela passou por uma das fases mais estimulantes de sua carreira na segunda metade de 2014. Müller-Wieland jogava na liga japonesa pelo West Red Sparks, o clube da fábrica da Coca-Cola com que ela se tornou campeã japonesa. “Minha passagem por lá teve uma grande influência sobre mim. A cultura, a mentalidade japonesa, a comida saudável, a disciplina nos treinos, tudo isso me entusiasmava.” Se disputasse os Jogos Olímpicos em Tóquio em 2021 e voltasse ao seu querido Japão, ela teria fechado o círculo de sua carreira.

O hóquei sobre grama corre no sangue de Janne Müller-Wieland (Arquivo Pessoal)
O hóquei sobre grama corre no sangue de Janne Müller-Wieland (Arquivo Pessoal)

Ao invés disso, ela acompanhará os Jogos Olímpicos de casa. No momento, a Inglaterra é o seu lar. Ela mudou-se para lá por motivos pessoais. Janne vive no campo entre Londres e Oxford com sua companheira galesa, Sarah Thomas, vencedora do bronze olímpico em hóquei sobre grama pelo Reino Unido em 2012. Thomas deu a luz a um bebê há algumas semanas. O novo bebê a ajuda a superar sua omissão da seleção.

Nova motivação na equipe masculina

Na Inglaterra, Müller-Wieland, que viaja regularmente a Hamburgo e continuará a jogar hóquei sobre grama pelo UHC Hamburg, construiu seu próprio campinho de hóquei, coberto com grama artificial, em sua garagem durante o ano de 2020, que foi dominado pelo coronavírus. Dado que a Inglaterra impôs rígidas restrições para viagens, ela também não pode participar dos treinos na Alemanha. Mas a necessidade é a mãe da invenção. Quando as restrições a treinos na Inglaterra finalmente terminaram, ela imediatamente entrou para o Oxford Hawks, da segunda divisão. Mas não foi para o time feminino. Foi para o masculino.

“Tentei compensar a maior velocidade de jogo e a superioridade física e técnica do masculino com minha visão e minha engenhosidade”, ela afirmou certa vez. “Creio que esse treinamento me deu uma nova motivação e estou convencida de que as pessoas deveriam fazer isso com mais frequência”. Isso mostra bem quem Janne Müller-Wieland é: uma pessoa corajosa, determinada e aberta a novas ideias.

Janne Müller-Wieland fala com sua equipe durante a semifinal da Liga Profissional de Hóquei sobre Grama da FIH em 2019, em Amstelveen. (Charles McQuillan/Getty Images)
Janne Müller-Wieland fala com sua equipe durante a semifinal da Liga Profissional de Hóquei sobre Grama da FIH em 2019, em Amstelveen. (Charles McQuillan/Getty Images)

O futuro de sua carreira esportiva ainda não está totalmente claro. Ela continuará sua carreira profissional como fundadora e consultora de diversas startups na internet, tanto da Inglaterra e, claro, de sua amada cidade natal, Hamburgo. E quanto à sua carreira no hóquei sobre grama? Ela continuará por mais algum tempo, pelo menos no nível de clubes.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos