Olimpíadas: Histórias de boicote nos Jogos

·2 minuto de leitura
Opening ceremony of the 1980 Summer Olympic Games in Moscow.  (Photo by Jean-Yves Ruszniewski/TempSport/Corbis/VCG via Getty Images)
Jogos de Moscou, em 1980, foram marcados pelo maior boicote da história das Olimpíadas (Jean-Yves Ruszniewski/TempSport/Corbis/VCG via Getty Images)

Esporte e política não se misturam? Ao menos nos Jogos Olímpicos, não é bem assim... Ao longo de sua história centenária, tivemos alguns boicotes famosos nas Olimpíadas, a grande maioria deles, por motivos políticos. Separamos abaixo algumas das mais famosas histórias.

Melbourne 1956

A primeira Olimpíada afetada pelos boicotes foi a de Melbourne, em 1956. Por conta de ataques de Israel, Reino Unido e França ao canal de Suez, as nações do Egito, Iraque e Líbano anunciaram que não iriam participar dos Jogos. Espanha, Holanda e Suíça também boicotaram o evento por conta da invasão da União Soviética à Hungria.

Leia também:

Montreal 1976

A Olimpíada de Montreal também sofreu com os boicotes. 32 países se retiraram dos Jogos após a recusa do Comitê Olímpico Internacional de banir a Nova Zelândia após o tour da equipe nacional de Rugby pela África do Sul, que na época vivia sob o regime do Apartheid. A China e o Taiwan também não participaram dos jogos por conta de uma disputa diplomática com o Canadá, que exigiu que os atletas taiwaneses disputassem sob a bandeira de Taiwan.

Moscou 1980

Os Jogos Olímpicos de Moscou ficaram marcados pelo maior boicote da história. Com o mundo vivendo sob a ameaça da Guerra Fria, era esperado alguma tensão no evento. Em protesto à invasão do Afeganistão pela União Soviética em 1979, os Estados Unidos anunciaram, por meio do presidente Jimmy Carter, que não participariam dos Jogos. Outros 62 países capitalistas seguiram os americanos, fazendo das Olimpíadas de 1980 os Jogos com menor número de atletas desde 1956. Com o esvaziamento, os anfitriões dominaram completamente o quadro de medalhas, com 80 de ouro e quase 200 no total.

Los Angeles 1984

Toda ação tem uma reação. Alegando falta de segurança dos atletas para os Jogos de Los Angeles, a União Soviética e seus 14 Estados satélites decidiram boicotar os Jogos. Além disso, o Bloco Soviético também organizou os Jogos da Amizade no mesmo ano, como uma espécie de “Olimpíadas Alternativa”. Com a ausência da União Soviética, os Estados Unidos dominaram o quadro de medalhas, com 83 ouros no total

Seul 1988

A primeira edição com participação simultânea da Alemanha Ocidental, Estados Unidos e União Soviética em mais de uma década também contou com boicotes. Para participar dos Jogos Olímpicos de Seoul em 1988, a Coréia do Norte exigiu sediar parte dos eventos e ter também sua própria cerimônia de abertura e encerramento. Após negociações sem sucesso com o Comitê Olímpico Internacional, a nação anunciou o boicote aos jogos. Cuba, aliada política da Coréia do Norte, também boicotou o evento.