Olimpíadas serão "difíceis" de organizar se pandemia continuar, diz Abe

AFP
O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, discursa no parlamento
O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, discursa no parlamento

Os Jogos Olímpicos de Tóquio serão "difíceis" de organizar se a pandemia do novo coronavírus não for contida até meados de 2021, declarou nesta quarta-feira (29) o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe.

"Não estamos nesta situação, é difícil organizar os Jogos", completou o mandatário, insistindo na importância de se encontrar um medicamento eficiente e uma vacina contra a doença.

"Sempre dissemos que sediaríamos Jogos Olímpicos e Paralímpicos de maneira segura e exitosa para os atletas e espectadores. Acredito que os Jogos não podem acontecer de maneira exitosa se a pandemia não for contida", continuou.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A pandemia da COVID-19 provocou o adiamento em um ano dos Jogos Olímpicos, que foram reagendados para julho e agosto de 2021.

As declarações do chefe do governo japonês acontecem um dia depois do presidente do Comitê de Organização dos Jogos, Yoshiro Mori, afirmar que o evento deverá ser cancelado caso a pandemia não for controlada até o ano que vem.

Um porta-voz dos Jogos de Tóquio explicou à imprensa que as palavras de Mori refletiam unicamente sua opinião pessoal.

A pandemia provocou a morte de 217.000 pessoas no mundo. No Japão, 14.000 pessoas foram infectadas e 400 faleceram. O país decretou estado de emergência de um mês.

Leia também