Olimpíada de Tóquio cancelada? Pandemia ainda ameaça Jogos mesmo com adiamento

Goal.com

Seguindo as demais competições, como a Eurocopa e a Copa América, por exemplo, a Olimpíada de Tóquio foi adiada para 2021, por conta da pandemia do novo coronavírus. Mas caso o vírus não seja controlado até lá, a competição corre um sério risco de ser cancelada, segundo o presidente do comitê organizador, Yoshiro Mori.

Em entrevista ao jornal Nikkan Sports, do Japão, o dirigente explicou que os Jogos não podem ser adiados novamente e, com isso, caso a crise persista até o próximo ano, devem ser cancelados.

Com o adiamento, a cerimônia de abertura está prevista para acontecer no dia 23 de julho de 2021. Até agora, as Olimpíadas só foram canceladas em decorrência de grandes guerras. 

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Mas Mori reforçou que a batalha contra a Covid-19 é como uma difícil luta contra um inimigo invisível e destacou que adiar novamente a competição é complicado, tanto para organização quanto para os atletas. 

"Pensando tanto nos atletas como nos problemas que representaria para a organização é tecnicamente difícil adiar os Jogos por dois anos".

A decisão de adiar a competição foi tomada pelo comitê organizador japonês e pelo Comitê Olímpico Internacional (COI) em março deste ano, após pressões de atletas e de confederações esportivas de diferentes países.

Apesar disso, os organizadores do evento, bem como o governo japonês, insistem que os Jogos podem ser uma boa oportunidade de mostrar ao mundo a vitória da humanidade sobre o coronavírus. 

No entanto, muitos acreditam que o adiamento de um ano pode não ser suficiente. Essa é a opinião de Yoshitake Yokokura, presidente da Associação Médica do Japão, que advertiu sobre a necessidade de uma vacina contra o vírus para que os Jogos possam ser realizados.

"Será extremamente difícil celebrar os Jogos no próximo ano se uma vacina não for produzida. Não diria que não vão acontecer, mas será muito difícil", alertou Yokokura.

Leia também