Olimpíada: Ouro no arremesso de peso superou tanto os rivais que poderia ter levado a prata e o bronze; entenda

·1 minuto de leitura

A prova do arremesso de peso ficou marcada pela superação de Darlan Romani, que arrancou uma quarta colocação apesar de todas as dificuldades enfrentadas nos últimos meses, mas também pela supremacia de Ryan Crouser. O americano, que lançou mais longe do que os rivais desde a primeira rodada, conquistou o ouro com um desempenho maiúsculo. Seus números foram tão expressivos que, se possível, ele ficaria com as três medalhas.

Crouser foi dono dos quatro melhores arremessos da prova. O de 23,30m, na sexta e última rodada, foi o melhor de todos. Com ele, quebrou o recorde olímpico que já pertencia a ele mesmo.

Crouser ainda registrou arremessos de 22,93m, 22,86m, 22,83m e 22,74m que nenhum de seus concorrentes alcançou. Ou seja: ela poderia ter recebido a prata e o bronze da prova. E ainda sobrariam duas notas que o deixariam em quarto e em quinto lugar.

Como isso não está previsto nas regras, a prata foi para o também americano Joe Kovacs. Seu melhor arremesso foi de 22,65m. Já o bronze ficou com o neozelandês Tomas Walsh (22,47m). A título de comparação, esta sua melhor marca não alcança a pior de Crouser, um 22,54m.

Os três primeiros colocados foram os únicos a atingir a marca dos 22m. Darlan, que ficou com a quarta colocação, teve como melhor arremesso um 21,88m. Ele foi obrido logo na primeira tentatriva do brasileiro.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos