De olho em 2021, Alonso mantém F1 no radar: “É uma possibilidade”

Redação GP

Sempre que Fernando Alonso dá as caras em alguma etapa do Mundial de F1, há inevitavelmente um burburinho sobre um eventual retorno ao grid. O bicampeão do mundo esteve neste fim de semana em Abu Dhabi, onde se despediu do esporte há um ano, para acompanhar o desfecho da temporada 2019. E, naturalmente, respondeu a perguntas sobre a possibilidade de voltar ao grid.

Alonso deixou claro que não descarta totalmente voltar à categoria que o consagrou como um dos melhores do século. Contudo, o espanhol lembra que só regressaria ao grid se tivesse um carro vencedor às mãos. 

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A esperança do bicampeão é que 2021, além de trazer uma nova F1 com as muitas mudanças do regulamento, possa abrir vagas em um cockpit capaz de fazê-lo novamente brilhar no esporte.

Fernando Alonso visitou os boxes da McLaren em Abu Dhabi (Foto: McLaren)


Em entrevista concedida à emissora britânica BBC, Alonso lembrou que só vai pensar sobre as chances de voltar à F1 no segundo semestre de 2020. “Não quero ter nenhuma distração em relação ao que as pessoas perguntam a mim sobre outras coisas”.

Os principais objetivos de Fernando para os primeiros meses do próximo ano já estão firmados. No início de janeiro, Alonso segue para a Arábia Saudita para disputar pela primeira vez o Dakar. Depois, vai focar seus esforços para tentar uma vaga no grid da Indy 500. Só depois vai analisar as possibilidades a respeito da F1. “Primeiro quero fazer o Dakar e a Indy, e então ver se sinto falta da F1”.

Alonso revelou que, ainda que tenha uma agenda bem menos cheia e, portanto, mais tempo para aproveitar a família e a vida como um todo, correr é seu maior prazer.

“Este ano foi bom estar fora da bolha da F1, mas meus amigos estão dizendo: ‘Agora que você está fora da F1, então você tem tempo para curtir a vida um pouco’. E eu digo que o que me faz feliz é correr”, comentou.

Assim, Alonso não fecha totalmente as portas para um regresso ao Mundial. “A F1 ainda é uma possibilidade. As regras de 2021 são bem interessantes. Talvez isso mexa um pouco com as coisas e tornem os carros mais fáceis para correr”.

“Se isso virar e sentir falta da F1, estou aberto para voltar. E também o mercado de pilotos está bem aberto para 2021, então não há pressa em tomar uma decisão”, finalizou.


Paddockast # 44

RETROSPECTIVA 2019: MUITO QUE BEM, MUITO QUE MAL


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM




Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo


O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.


Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.








Leia também