Odair Hellmann defende Ângelo no Santos e chama para si a responsabilidade do momento do time

Nos quatro primeiros jogos do Paulistão, Odair conquistou 5 pontos (Foto: Ivan Storti/Santos FC)


Após o empate do Santos contra o Água Santa, o treinador Odair Hellmann teve que dar justificativas para as performances de alguns jogadores. Ângelo, jogador de 18 anos, foi alvo da impaciência dos torcedores Alvinegros. Em defesa do atleta, o técnico relembrou que o jovem queimou etapas para estar no profissional.

- O Ângelo é um menino, completou dezoito anos agora, estreou com 15. Essa é uma discussão importante, talvez ele seja uma acima da média, mas talvez tenha queimado etapas do processo. Talvez tenha jogado pouco no sub-17, pouco no sub-20. Para chegar no momento desse, a maturidade está maior. Isso que ele é um menino. Ele é maduro, é um menino do bem, ele é um menino trabalhador, só que é um menino de dezoito anos - declarou Odair.


> ATUAÇÕES: Santos tem performance apática, e dupla Soteldo e João Paulo são os únicos destaques

> Veja tabela do Campeonato Paulista e simule os próximos jogos


Ainda sobre o camisa 11, o comandante do Peixe aliviou a pressão sofrida por Ângelo e puxou para si parte do 'peso' que Ângelo está carregando.

- Se nós começarmos a colocar a responsabilidade neste mínimo de dezoito anos que já queimou a etapa do processo, aí tá errado. A responsabilidade é pra mim, pros mais velhos. E aí sim, a cobrança quando eles fugiram um pouquinho do contexto todo para também cobrar porque eles também têm que ter responsabilidade. Mas eles vão evoluir nesse processo. Até o processo da relação com o torcedor, da relação com a vitória e com a derrota - dissertou o treinador do Santos.

Para finalizar o assunto, Odair destacou os pontos de qualidade e técnica do jovem. Além disso, disse que o jogador ainda enfrenta o fortalecimento mental e físico.

- O processo psicológico dele está em formação. Além do processo físico, processo de evolução tática, processo técnico e o processo de evolução mental. Ele é um menino. Às vezes precisa de tempo, o Ângelo passou por cima do processo porque é talentoso, ele tem qualidade. Só que tem uma hora que cobram as outras contas. Aí isso tudo vai gerar amadurecimento, crescimento individual e melhor performance. Cabe a nós falar com o Ângelo, falar com os outros meninos, para tirarmos as cobranças deles e que nós assumamos isso. Faço as cobranças que tenho que fazer. Ele precisa de uma evolução, ele é um jogador diferente tecnicamente que a gente precisa ajudar - concluiu o treinador.

Agora, o treinador prepara os jogadores do elenco santista para o próximo compromisso, que será no sábado (28), contra a Ferroviária, pelo Paulistão.