Ocon diz que chegou "muito perto" de substituir Bottas na Mercedes

Redação GP
Grande Prêmio

Esteban Ocon volta ao grid da Fórmula 1 em 2020, representando a Renault após um ano sabático forçado. A ida para Enstone não está de todo ruim, mas o francês não esteve tão longe de substituir Valtteri Bottas e formar dupla com Lewis Hamilton na Mercedes. Nas palavras de Ocon, foram detalhes que jogaram a favor do finlandês, resultando na manutenção da dupla atual.

"Cheguei muito perto", disse Ocon, entrevistado pela ESPN. "Tivemos conversas até o último momento. Mas agora isso já está feito e eu preciso ficar de olho no que tenho pela frente", continuou.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Ocon se esquiva de detalhar o que determinou a escolha por Bottas, mas explica um ponto: a decisão esteve nas mãos de Toto Wolff, chefe de equipe.

"Não quero entrar em detalhes. Talvez se você perguntar ao Toto [Wolff]... Acho que ele tomou essa decisão sozinho, mas acho que ele pode explicar melhor. Ele me explicou também, mas o principal motivo é que eu ainda sou jovem e tenho tempo. Minha carreira ainda é gerenciada pela Mercedes, o que é diferente de estar na equipe em si. Só que há muito pela frente na F1 e tenho certeza de que nos veremos novamente. Não vamos estar tão longe assim um do outro", seguiu, referindo-se ao paddock da F1.

Esteban Ocon esteve no páreo para ser titular da Mercedes em 2020 (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)


Bottas deu grandes passos rumo à renovação ainda no primeiro semestre de 2019, quando performances convincentes e duas vitórias nas primeiras quatro provas indicavam um piloto em evolução. Ocon, apenas na reserva após perder vaga na Racing Point, não teve a mesma chance de apresentar boas performances. O bom desempenho em 2017 e 2018, entretanto, fez o francês virar um coringa quando o assunto era mercado de pilotos.

"As coisas nunca são garantidas na F1. Eu pensava que as pessoas iam me esquecer um pouco porque eu não estava no grid, sem correr. No começo do ano, quando o mercado de pilotos estava calmo, foi um período que pareceu muito longo para mim. Eu me perguntava muitas coisas, mas a equipe [Mercedes] fez um grande trabalho ao encontrar soluções. Trabalhamos pesado em todos os tópicos e eles mantiveram tudo sob controle, tanto que eu terminei com uma grande opção [Renault] para mim", encerrou.

Na Renault para substituir Nico Hülkenberg, Ocon está contando os dias para o retorno oficial ao grid. Este vai acontecer em 15 de março, data do GP da Austrália, o primeiro de 2020.


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo


O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.


Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.






Leia também