Obstinado, Raniel volta ao Vasco com chance de redenção em decisão na Série B

Raniel comemora o gol de empate com o Sport, o 10º dele na Série B pelo Vasco (Daniel Ramalho/Vasco)


Após cumprir dois jogos de suspensão, Raniel voltou a ser relacionado pelo Vasco. O atacante está em Itu concentrado com o restante do elenco para a decisão contra o Ituano, domingo, às 18h30, no Novelli Júnior. Artilheiro do time na temporada com 16 gols, o jogador retorna em um momento importante, crítico e decisivo, circunstâncias que o acompanham desde que chegou ao clube.

Contratado com a missão de substituir Germán Cano, Raniel começou a sua trajetória no Vasco cercado por desconfiança, mas marcou gols nos primeiro três jogos da temporada, que amenizaram a pressão. O atacante não conseguiu manter a média, mas seguiu balançando a rede e garantindo pontos importantes para a equipe, principalmente no início da Série B, quando fez os primeiros três gols do time nos empates com Vila Nova e CRB, ambos por 1 a 1, e na vitória sobre a Ponte Preta, por 1 a 0.

A partir de então Raniel amargou um jejum de sete jogos sem marcar, o que fez o atacante perder a condição de titular e cair em desgraça com o torcedor. Mesmo pressionado pelas críticas, o atacante seguiu fazendo gols importantes, como nas vitórias sobre Londrina e Criciúma, e nos empate com Ituano e Sport, o mais emblemático de todos, quando marcou de pênalti, mostrando uma frieza que impressionou pelo momento importante, crítico e decisivo.

Importante e na média com os demais

É verdade que Raniel falhou em diversos momentos, como na derrota para a Ponte Preta, por 3 a 1, e no empate com o Londrina, em 1 a 1. Em ambos os jogos o atacante desperdiçou oportunidades na cara do goleiro que contribuíram para os resultados negativos. No entanto, comparado com outras edições de Série B, o atacante está na média de outros jogadores da sua posição.

Raniel soma 10 gols, um a menos do que fez Germán Cano na Série B do ano passado, mesmo jogando seis rodadas a menos que o argentino. Em 2016, Nenê foi o artilheiro do Vasco na competição, com 13 gols, mas Thalles e Ederson, os centroavantes da equipe, marcaram 7 vezes.

Já em 2014, Douglas foi o artilheiro do Vasco na Série B, com 10 gols, mas o camisa 10 era o meia do time. Os atacantes eram Kléber Gladiador (5 gols), Thalles e Edmilson (3 gols), que balançaram a rede menos que Raniel. A única exceção foi em 2009, quando o Cruz-Maltino foi campeão e Élton foi o goleador máximo da competição, com 17 gols.