Focado, Lincoln tem Ronaldinho Gaúcho como inspiração

Há jogadores que contam com sorte, alguns que dependem de muita dedicação. Outros, por sua vez, têm um talento nato. Lincoln, jovem de 18 anos do Grêmio, e que desde os 14 é tratado como joia, aparentemente tem os três.

E é nessa combinação que ele aposta para alçar altos voos na carreira, e atingir o sonho em ser o melhor do mundo e repetir o feito de outra grande revelação tricolor: Ronaldinho Gaúcho.

"Tenho ainda (o sonho de ser o melhor do mundo), a gente nunca desiste do nosso sonho. Sou um cara que acordo de manhã cedo, faço as coisas em casa e venho pro treino, já com esse pensamento, pensando sempre em evolução", disse Lincoln, que está no Goal NxGn, lista que reúne os 50 jovens mais promissores do futebol mundial, em entrevista exclusiva.

"E eu penso que, se treinei bem hoje, amanhã tem que treinar ainda melhor. Para ser melhor do mundo, tem que fazer por onde dentro de campo. Tem que treinar muito, Deus ajuda quem trabalha", emendou ele.

Lincoln - Grêmio

(Foto: Fernando Martinez/Aguante/Divulgação)

Confira os principais pontos da entrevista:

No ano passado, superou Ronaldinho como jogador mais jovem do Grêmio a marcar em uma Libertadores. Ele é uma Inspiração?

"Ele é uma inspiração para o mundo, é um cara que tem história e todo mundo tem que respeitar a história dele. Eu procuro fazer o meu jogo, com minhas características, mas o Ronaldinho é um cara completo. Eu estou procurando evoluir para um dia chegar próximo dele".

Copa do Mundo de 2022

"(Estar na Copa de 2022 é um sonho), a gente trabalha, treina muito e estar na seleção é fruto de trabalho, acho que eu não queimei etapas, eu cumpri todo o meu papel na base e finalmente estou no profissional, isso é muito gratificante para mim . "Acho que este é o sonho de todos os atletas. Todo jogador quer estar na Seleção Brasileira, pois estará representando seu país".

Lincoln - Grêmio

(Foto: Fernando Martinez/Aguante/Divulgação)

Pressão por estar entre as principais promessas?

"Na verdade, eu não penso muito nisso, eu procuro sempre trabalhar, sempre dar o meu máximo quando eu entro dentro de campo. Eu sou um cara que estou me cuidando muito, fora de campo também. Eu, que sou novo, tenho que ter esta percepção. Quando entro dentro de campo, procuro dar o meu melhor, ajudar os meus companheiros, mas eu lido com essa sensação bem".

Chegada ao Grêmio

"Na verdade, começou tudo na escola, uma professora minha me viu treinar e tinha um conhecido, que tinha uma conveniada, Seu Antônio, foi até meu procurador por muito tempo, me ajudou, foi fundamental no meu início e aí na conveniada tinha parceria com o Grêmio. Fui lá, treinei bem. Daí, de lá, fiz uns treinos com a base do Grêmio e fui evoluindo".

Lincoln - Grêmio

(Foto: Fernando Martinez/Aguante/Divulgação)

Algum outro atleta em quem você se inspira?

"Vou falar muitos aqui, Messi, Cristiano Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho, Iniesta, tem muitos caras que a gente fica olhando os vídeos, vendo o que os caras tem de melhor, para gente entrar em campo e buscar evoluir. A gente tentar fazer o que eles fazem, embaixadinha, balaca com a bola também".

Como define teu estilo de jogo?

"Eu tenho um bom passe, uma boa finalização, eu tenho força, eu tenho um bom chute de longa distância também e sempre estou tentando evoluir, ajudar os meus companheiros".

Quem é melhor, CR7 ou Messi? E o Neymar?

"É muito difícil falar isso aí, pois os dois são excelentes jogadores. Na minha opinião, o Messi está melhor, mas no momento, e futebol é momento, ele tá um pouco à frente. Mas os dois são feras demais. Com certeza o Neymar está no nível dos dois. Né? Ele tá bem demais".

Sonha jogar um dia na Europa?

"É o sonho de todos. Mas primeiramente antes de querer ir jogar na Europa quero me preparar mais aqui no Brasil. Disputar as competições aqui. Disputar Brasileiros, Libertadores, para poder chegar lá em um alto nível. Não ir muito novo, para não acontecer o bate e volta".

-------

Lincoln revela objetivo para temporada e admite jogar mais recuado

O Grêmio pode lutar pelo título da Libertadores?

"A gente sabe a dificuldade que é a Libertadores. Todo mundo com o objetivo de ser campeão. Todos os clubes entram com esse pensamento, trabalham muito.  Mas infelizmente é só um que levanta o troféu. Para a gente não é diferente, mas queremos primeiro vencer os jogos e ter a melhor campanha, se Deus quiser. A gente pretende ser campeão sim".

Individualmente, qual teu objetivo para esse ano?

"Meu objetivo para esse ano é participar mais. Trabalhar muito mais para isso acontecer. Meu objetivo é ajudar os meus companheiros. Acho que ano passado eu joguei muito pouco. Nunca se pode colocar a culpa no treinador. Ele vai colocar quem tá melhor. Mas eu estou trabalhando diariamente para isso. As oportunidades vão surgir e preciso estar preparado. De repente até foi bom o que aconteceu, pois estava e estou tentando me aperfeiçoar mais".

Tudo bem não jogar como meia, e sim como segundo volante?

"(Jogar como segundo volante) é bom para mim, pois já joguei ali na Seleção. Estas são as minhas duas principais posições. São funções bem parecidas e o professor sabe que pode contar comigo para ambas".

O que acha do Douglas, talvez o último camisa 10 clássico do Brasil. Ele é um exemplo?

"(Com certeza). O que eu vou falar do Douglas? Ele não ajuda só eu, como todo mundo aqui. Jogadores jovens e mais velhos. É incrível que ele, com a idade que tem, corre como está correndo, se dedica, trabalho. Agora, machucado, ele tá fazendo muita falta para a gente"