'O Vasco não é a Disney. Talvez eu devesse ter dispensado o Pateta antes', diz Campello sobre Bastos

LANCE!
·2 minuto de leitura


A saída de Fellipe Bastos do Vasco ainda gera polêmica. Em entrevista ao site ge, o volante destacou alguns motivos que explicam a queda do Cruz-maltino para a Série B. Dentre as razões, o meio-campista disse que jogadores sem identificação com o clube foram contratados e salientou "o Vasco não é a Disney".

O volante também fez algumas críticas ao então presidente, Alexandre Campello. De acordo com ele, o mandatário não cumpriu com o que lhe foi prometido. Em resposta ao meia, o mandatário ironizou a declaração de Bastos.

- De uma coisa ele tem razão. O Vasco não é a Disneylândia. Talvez eu já devesse ter dispensado o Pateta antes - disse Campello ao ge.

RELEMBRE O CASO

O ponto de vista de Bastos

No dia 3 de dezembro de 2020, o Vasco foi eliminado da Copa Sul-Americana pelo Defensa y Justicia (ARG), em São Januário. Como havia testado positivo para a Covid-19, Fellipe Bastos ficou impedido de entrar em campo. O volante contou ao site que, no dia seguinte, precisou ir à sala de Sá Pinto ouvir explicações e cobranças do português.

O clima da conversa esquentou e Sá Pinto, de acordo com Bastos, foi avisado de que começaria a treinar separado do grupo. O volante disse que, como respeita a situação do Vasco e não fez nada de errado, não iria treinar separado. Assim, foi liberado pelo então diretor executivo de futebol, André Mazzuco, para ir para casa.

Bastos revelou que o então presidente do Vasco, Alexandre Campello, o ligou e garantiu que o volante seria reintegrado ao grupo, o que não aconteceu.

O ponto de vista de Campello

Campello, por sua vez, rebateu e disse que o volante omitiu fatos. De acordo com o ex-presidente, o Vasco não quis levar a informação de que a Conmebol vetou Bastos do jogo no momento da concentração, assim esperaram chegar ao estádio para lhe avisar.

Bastos, de acordo com Campello, teve um comportamento "muito ruim, reprovável" ao receber a notícia e chegou a acusar "funcionários do Vasco de estarem tramando" contra o volante.

Após a discussão com o técnico Sá Pinto, Campello revelou que foi decidido que o jogador estava fora dos planos do português. Campello também declarou que, em comum acordo com Carlos Leite, empresário de Bastos, foi entendido que o melhor seria o atleta não voltar a treinar, uma vez que estava fora dos planos da comissão e com o contrato já próximo do fim.