“O retrato do racismo no Brasil”, afirma Tia Má sobre ataques à Ludmilla

Yahoo Vida e Estilo
Maíra Azevedo fez um texto em defesa de Ludmilla (reprodução / instagram @tiamaoficial @ludmilla)
Maíra Azevedo fez um texto em defesa de Ludmilla (reprodução / instagram @tiamaoficial @ludmilla)

Após expor conversas e áudios de Anitta para exemplificar a briga o rompimento pessoal e profissional, Ludmilla sofreu ataques racistas de fãs da cantora. Algumas das críticas foram expostas por ela nas redes sociais e Maíra Azevedo, a Tia Má, se posicionou em defesa da cantora.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 minuto e receba todos os seus e-mails em um só lugar

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Siga o Yahoo Vida e Estilo no Google News

Siga o Yahoo Vida e Estilo no InstagramFacebook e Twitter, e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentários.

“Não importa quem tem a razão nesta treta! Mas na briga entre duas grandes artistas brasileiras, o racismo é o grande protagonista! Antes de ser cantora, de ser uma compositora, Ludmilla é uma mulher preta e quando ela sofre ataques racistas, todas nós sofremos também”, inicia seu texto nas redes sociais.

Leia também

A influenciadora e comunicadora relembrou o levante recente do uso da hashtag ‘Vidas Negras Importam’. “Percebemos que é apenas uma frase de efeito, não se tem prática. É possível se posicionar sem atacar. A tentativa constante de tentar depreciar Ludmilla a partir da sua condição racial é o retrato do racismo no Brasil”, pontua.

Ela ainda aponta que civilidade não é uma questão de caráter. “Ninguém se reconhece racista, mas se sente confortável em atacar uma mulher preta chamando de macaca, reforçando a ideia escravocrata e perversa de que pessoas pretas são animais. É preciso entender que esses ataques não são apenas contra uma artista, mas a todo coletivo de mulheres pretas do Brasil”, avalia.

Maíra relembra que o racismo é estrutural no país e tem consequências reais e diárias. “A animalização dos nossos corpos resulta em nossas mortes e não vamos aceitar! O racismo mata e enlouquece, e permitir isso é ser conivente com um crime perverso e brutal que nos aniquila! Tenha a sua opinião, mas não aceite a opressão”, pede.

Leia também