O retorno de Alex Kidd: Sega traz personagem em nova embalagem

·4 minuto de leitura
Alex Kidd in Miracle World DX (Divulgação)
Alex Kidd in Miracle World DX (Divulgação)

O personagem Alex Kidd foi uma figura muito marcante para os brasileiros que tiveram acesso ao console Master System da empresa japonesa Sega lançado aqui pela Tec Toy. O garoto especialista em artes marciais é o protagonista de Alex Kidd in Miracle World (1986), o qual retorna no remake lançado pela Merge Games dia 22 de junho, Alex Kidd in Miracle World DX (2021), para PC (Steam), Playstation 4 (PS4), Playstation 5 (PS5), Xbox One, Xbox Series X/S e Nintendo Switch, o produto foi desenvolvido pela espanhola Jankenteam.

No game é possível escolher a versão anterior ou a atualizada, novos modos de jogo como o Boss Rush no qual se enfrenta os principais vilões em sequência, partidas de Jan Ken Pon (papel, tesoura ou pedra), novos estágios, músicas, efeitos sonoros, e ainda tem o grande diferencial da aventura para seus contemporâneos, o uso de veículos. Tudo para concluir a missão de Alex Kidd: restaurar a ordem ao Reino de Radaxian e derrotar o perverso Janken, o Grande.

A Jankenteam foi fundada com o foco de realizar este remake no estilo retro, um trabalho de amor e profissionalismo do time europeu com a propriedade intelectual (IP – Intellectual Property) da Sega. O produtor Ramón Nafria concedeu entrevista exclusiva ao Yahoo Brasil e falou da relevância de Alex Kidd, a posição dele como mascote da Sega, o apelo dos jogos retrô, e o que fãs e novos jogadores podem esperar deste remake com um personagem tão querido.

Yahoo Brasil: O que Alex Kidd representa para a história dos video-games?

Ramón Nafria: Creio que Alex Kidd foi o primeiro rival de fato de Super Mario nos games. Sim, Pacman veio antes, e após ele teve o Sonic, mas com Alex Kidd houve um clique: “Então, temos um rival”.

Ele tinha o papel de ser a mascote da Sega até 1991, quando Sonic apareceu, e antes disso aparecia em games de diversos gêneros, como corridas, aventura, plataforma, e foi utilizado em games voltados para o público do Japão e outras partes do mundo, como em Alex Kidd in High Tech Castle. E, até foi usado como paródia de outro protagonista e lendária propriedade intelectual (IP) da SEGA como Shinobi.

Como se deu seu primeiro contato com o jogo?

Meu primeiro console foi o SEGA Game Gear em 1991. Não tinha o Alex Kidd, mas sim Columns, entretanto quando ia às lojas ou casas de amigos que tinham o Master System, via muitas vezes, e também jogava o Alex Kidd in Miracle World. Eu realmente queria ter aquele game, mas a única possibilidade, num mundo pré-internet, para se ter este jogo era quando já vinha na memória do Master System, já que o cartucho era raríssimo. Além de que, tive um Master System convertido para jogar games do Game Gear, mas tive de esperar até 1996 para ter meu próprio Master System e poder jogar Alex Kidd in Miracle World, até então, eu já tinha Alex Kidd the Lost Stars, High Tech World e Shinobi World em casa.

Alex Kidd foi tão bem recebido que já vinha na memória de futuras versões do Master System da Sega. Por que acredita que não se tornou um nome tão forte quanto Sonic e Mario?

Bem... Master System teve muito sucesso na Europa e Brasil. Naquela época, os principais mercados eram EUA, no qual obteve menos de 10% do mercado, e Japão, onde não superou o primeiro Famicom (console da Nintendo), e as máquinas de PC. Alex Kidd é a mascote dos tempos de Master System, por esta razão não teve a relevância que Sonic (Mega Drive) ou Mario possuem.

O que levou ao remake deste jogo tão querido?

O amor por ele!

Como pode ser atraente para jogadores antigos e também para os atuais?

Bem, neste momento a demo já está disponível, e temos visto todos tipos de reações. Há novatos que se sentem atraídos pelo estilo gráfico e por ser um jogo lendário; alguns ficam viciados, outros não. Se você ama o original é difícil não amar este também.

Acredita que pais apresentarão seus filhos ao Alex Kidd e o game se tornará uma atividade para famílias?

Como pai digo que tenho uma casa cheia de coisas do Alex Kidd (risos). Mas depende da Sega, se trabalharem mais com esta IP ela pode ter mais vida, se não, será algo que voltará de tempos em tempos.

O que diferencia este jogo do original?

Há muitas novidades: novos gráficos, efeitos sonoros, músicas, estágios, modos, abertura e final. Há muito material ali para ser descoberto.

Por que acredita que games retrô são tão atraentes?

Sinceramente... Nem sempre. Se um jogo é divertido, pode ser para sempre. O problema é que há tendências de gráficos, controles... Depende do momento, portanto um jogo divertido que o era em dado momento pode voltar a sê-lo, se acompanhar as tendências da época.

Como a indústria dos games tem lidado com a pandemia?

Olha, nós desenvolvemos tudo isto do Alex Kidd durante a pandemia, então pode ser considerado que muito foi feito em home office, e nada feito no escritório, o que é chato. Prefiro a indústria “pré-pandemia”, mas a indústria dos games é uma das indústrias menos afetadas neste momento.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos