O ressurgimento de Diego e como ele pode ser importante na Seleção

Quem viu Diego surgir para o futebol ao lado de Robinho num Santos da "garotada" que encantou o futebol brasileiro e tirou o time de uma fila de quase duas décadas sem um grande título, imaginou um futuro brilhante do meia com a camisa da Seleção Brasileira. Mas não foi bem por aí que as coisas aconteceram, o agora jogador do Flamengo teve presença intermitente na Canarinho e não se tornou protagonista. Hoje, 9 anos depois da última convocação para jogos de Eliminatórias, Diego encontrou em Tite uma nova oportunidade.

VEJA TAMBÉM:
Felipão compara Renato Gaúcho e CR7 | Todos os gols de Ney pelo Brasil | Ceni avalia SP em clássicos

Aos 35 anos, o meia que surgiu no início da década de 2000, é referência para jogadores que hoje são a base da Seleção, entre eles Neymar. Aos 24, o atacante revelado pelo Santos cresceu assistindo a dupla Diego e Robinho encantando o Brasil e conquistando títulos pelo Alvinegro Praiano. O próprio camisa 10 não esconde a admiração que sente por eles.

Apesar de colecionar passagens intermitentes pela Canarinho, Diego tem dois títulos, a Copa América de 2004 ao lado de Adriano, Luis Fabiano, Júlio Cesar entre outros e a de 2007, sob o comando do técnico Dunga. Sem nenhuma Copa na bagagem, o meia deposita suas fichas na grande fase vivida no Flamengo e na oportunidade de impressionar cada vez mais o técnico Tite para garantir uma vaga na Rússia.

Foi exatamente o retorno ao futebol brasileiro que possibilitou uma nova oportunidade para Diego na Seleção. Depois de 12 anos, o meia retornou ao Brasil em agosto do ano passado nos braços da torcida Rubro-Negra que desde o princípio acreditou neste casamento.

Diego Ribas Flamengo


(Foto: iFlamengoNews / Divulgação)

Contrariando as expectativas, Diego se readaptou muito bem ao futebol brasileiro e logo assumiu o papel de protagonista do time. Chamou a responsabilidade no meio-campo e ajudou o Flamengo a brigar com o Palmeiras pelo título do Campeonato Brasileiro, algo era difícil de se apostar no início da competição. Ele esteve na Seleção do Campeonato eleito como um dos melhores meias do torneio.

O bom desempenho no Brasileirão o credenciou a ganhar uma oportunidade no amistoso contra a Colômbia, no que ficou conhecido como o Jogo da Amizade que teve como objetivo arrecadar fundos para ajudar as famílias das vítimas do acidente da Chapecoense. 

Com personalidade, Diego entrou no segundo tempo e mostrou a Tite que estava com vontade de retornar à equipe nacional. Não deu outra, com as boas atuações pelo Flamengo, no amistoso, e o profissionalismo apresentado ao lado do cuidado com a forma física foram determinantes para que o treinador da Seleção o chamasse para os jogos contra Uruguai e Paraguai pelas Eliminatórias. 

Diego Dudu Brasil Colombia amistoso 25 012017


(Foto: Pedro Martins / MoWa Press / Divulgação)

Experiente, Diego pode se tornar uma peça importante no time, como referência que é para muitos jogadores, inclusive o principal craque da equipe, com a bagagem que carrega de outros momentos da Canarinho e principalmente a personalidade e o profissionalismo com que conduz a sua carreira.

Ele ficará à disposição de Tite para o duelo contra o Paraguai, nesta terça-feira(28), pela décima quarta rodada das Eliminatórias da Copa do Mundo. A partida será realizada às 21h45, na Arena Corinthians, em São Paulo.

Leia também