O que você precisa saber para começar a sexta-feira

Yahoo Notícias
Foto: AP Photo/Bruna Prado
Foto: AP Photo/Bruna Prado

Jair Bolsonaro confirma reforma ministerial que torna o Planalto “militarizado”, declaração polêmica de Paulo Guedes ainda repercute e Papa Francisco recebe ex-presidente Lula.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Confira o que você precisa saber para começar a sexta-feira (14):

Planalto militarizado

O presidente Jair Bolsonaro comentou o fato de que, com ida do general Walter Braga Netto para a Casa Civil, todos os ministros que despacham no Palácio do Planalto passarão a ser de origem militar. Bolsonaro reconheceu que o Planalto ficou "militarizado", mas disse que não tem "nada contra os civis". Os outros ministros com assento no Planalto são o general da ativa Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), o general da reserve Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e o major da reserva da Polícia Militar Jorge Oliveira (Secretaria-Geral).

Bolsonaro ataca ambientalistas

O presidente Jair Bolsonaro disse que estuda criar o Ministério Extraordinário da Amazônia. Na saída da residência oficial, ele também chamou a ONG ambientalista Greenpeace de "porcaria" e "lixo" e defendeu a exclusão dos governadores do Conselho Nacional da Amazônia Legal, órgão transferido para o comando do vice-presidente Hamilton Mourão esta semana.

Ministro "Caco Antibes"

O jornal Extra repercutiu a fala do ministro da Economia, Paulo Guedes, que defendeu em um evento em Brasília que o dólar alto era bom para o país. A publicação traz em sua capa uma comparação de Paulo Guedes com Caco Antibes, personagem dono do bordão: ‘eu tenho horror a pobre'.

Papa Francisco recebe Lula

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva se reuniu com papa Francisco, no Vaticano, em uma audiência privada por quase uma hora. Foi o primeiro encontro entre os dois. A reunião, que não constou na agenda do pontífice, aconteceu na casa de hóspedes Santa Marta, dentro da Cidade do Vaticano, onde mora o argentino.

Sergio Moro x PSOL

Um dia depois da sessão na Câmara dos Deputados que acabou em briga, o ministro Sergio Moro reacendeu a discussão nas redes. Após ser chamado de “capanga da milícia” pelo deputado Glauber Braga (PSOL-RJ) e acusado de proteger a família Bolsonaro nas investigações da Polícia Federal sobre o senador Flávio Bolsonaro (sem partido), Moro alfinetou o PSOL no Twitter.

Rombo alvinegro

O Guarani mais uma vez eliminou o Corinthians da Libertadores da América. Agora, de maneira ainda mais traumática, já que o time brasileiro cai ainda na pré-Libertadores. E a desclassificação após a vitória por 2 a 1 em cima dos paraguaios vai causar um buraco de aproximadamente R$ 25 milhões nos já esvaziados cofres alvinegros.

Leia também