O que você precisa saber para começar a quarta-feira

Yahoo Notícias
Foto: REUTERS/Adriano Machado
Foto: REUTERS/Adriano Machado

Dia teve o jornalista Glenn Greenwald denunciado pelo MPF, declaração polêmica de Paulo Guedes no Fórum de Davos e 16 denunciados por homícidio doloso por rompimento da barragem em Brumadinho.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Confira o que você precisa saber para começar a quarta-feira (22):

Glenn Greenwald denunciado pelo MPF

O Ministério Público Federal em Brasília denunciou sete pessoas sob acusação de envolvimento no hackeamento de contas de Telegram de autoridades como o ministro Sergio Moro e o procurador Deltan Dallagnol, coordenador da Lava Jato em Curitiba. Entre os denunciados está o jornalista Glenn Greenwald, fundador do site The Intercept Brasil, que recebeu os diálogos da Lava Jato e os publicou. A ação do MP foi condenada por diversas autoridades. O presidente Jair Bolsonaro, por sua vez, ironizou o jornalista norte-americano.

Declaração polêmica na Suíca

Representando o Brasil no Fórum Econômico Mundial, realizado em Davos, na Suíça, o ministro da Economia, Paulo Guedes, declarou que “o grande inimigo do meio ambiente é a pobreza”. O ministro fez o comentário durante o painel “Formando o Futuro da Manufatura Avançada”, que discutia os avanços tecnológicos na indústria. “Destroem [o meio ambiente] porque estão com fome”, justificou o brasileiro.

Brumadinho: 16 denunciados por homicídio

O Ministério Público de Minas Gerais denunciou 16 pessoas por homicídio doloso duplamente qualificado -quando há intenção de cometer crime -  pelo rompimento da barragem B1, no Córrego do Feijão, ocorrido no dia 25 de janeiro de 2019. As empresas Vale e Tuv-Sud foram denunciadas por crimes ambientais. Entre os 16 denunciados está o ex-presidente da Vale, Fábio Schvartsman.

Boa notícia para Flávio Bolsonaro

O desembargador Antônio Carlos Nascimento Amado, da Terceira Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Rio, determinou a paralisação da investigação contra o empresário Alexandre Ferreira Dias Santini, sócio do senador Flávio Bolsonaro (Sem partido-RJ) na empresa Bolsotini Chocolates e Café. Santini foi alvo de busca e apreensão solicitada pelo Ministério Público do Rio e cumprida em 18 de dezembro em conjunto com outros 26 alvos suspeitos de envolvimento em um esquema de rachadinha no gabinete de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

Regina Duarte já fala como membro do governo

Ainda sem um anúncio oficial, Regina Duarte já fala como nova Secretária Especial de Cultura do governo de Jair Bolsonaro (sem partido-RJ). A atriz postou uma foto ao lado do presidente e disse que terá “muito trabalho pela frente” e já se mostrou preocupada com possíveis ataques de opositores em suas redes sociais num futuro próximo quando estiver, segundo ela, “em função do cargo”.

Gabigol vai custar mais caro para o Fla

A demora de Gabigol para responder à proposta do Flamengo vai custar caro ao Rubro-Negro. É que a Inter de Milão não aceita mais a proposta de 16 milhões de euros acordada verbalmente em agosto do ano passado. O Blog do Nicola apurou que a nova cifra discutida entre os clubes é de 18 milhões de euros ou R$ 83,7 milhões. Ou seja, a pedida dos italianos aumentou em 2 milhões de euros ou R$ 9,3 milhões. A diretoria rubro-negra já concordou em bancar os 18 milhões de euros exigidos pela Inter de Milão.

Leia também