O que o torcedor tricolor pode esperar de Éder, novo atacante do São Paulo

Nathalia Almeida
·2 minuto de leitura

O futebol chinês forneceu, em uma só tacada, dois dos principais reforços do São Paulo para a temporada 2021: o primeiro foi o experiente zagueiro Miranda, contratação confirmada pelo clube há dias, e oficialmente anunciada nesta quarta-feira (17); o segundo foi o atacante Éder, que ainda não teve sua chegada oficializada pelo Tricolor Paulista, mas que está com tudo acertado para defender a camisa são-paulina por duas temporadas.

O comando do ataque era uma das posições que mais preocupava o torcedor tricolor e o próprio clube, afinal de contas, Brenner foi vendido ao FC Cincinnati e deixou uma vaga importante aberta no setor. Mas será que Éder é o 'camisa 9 dos sonhos' dos são-paulinos? O que eles podem esperar do novo reforço? Destrinchamos a seguir:

Eder não atua no Brasil desde 2005 | Emilio Andreoli/Getty Images
Eder não atua no Brasil desde 2005 | Emilio Andreoli/Getty Images

Movimentação, polivalência e muita saúde

A primeira coisa que o torcedor do São Paulo precisa saber é que Éder pode desempenhar o papel de centroavante fixo, mas fica bastante confortável também atuando como segundo atacante ao lado de outro jogador de referência. Nos dias de hoje, essa 'polivalência' é muito valorizada por treinadores, muito em função das múltiplas (e diferentes) demandas do futebol moderno.

Outro fator que precisamos destacar em Éder é o seu cuidado com a saúde: os 34 anos de idade podem assustar o torcedor em um primeiro momento, mas estamos falando de um atleta que se cuida muito e que conseguiu ficar, ao longo de toda a sua carreira profissional, distante das lesões. Seu histórico de contusões é bem curto, o que é uma ótima notícia para o Soberano.

Números espetaculares na China

Éder é o nono maior artilheiro brasileiro na história da Serie A Tim - foram 60 gols anotados ao longo de sua passagem pela Itália -, mas foi no futebol chinês, onde atuou nos últimos dois anos e meio, que o seu 'faro artilheiro' parece ter desabrochado de fato: de acordo com o Transfermarkt, foram 32 gols e 18 assistências em 62 partidas disputadas pelo Jiangsu Suning, média de 0,8 participação direta para gol por jogo. Sobrando fisicamente mesmo já na casa dos 30 anos, deixou sua marca na Superliga Chinesa, sendo um dos destaques da campanha do título nacional da equipe: com nove gols anotados, foi o vice-artilheiro do time, atrás apenas de Alex Teixeira.

Última experiência de Éder no Brasil foi pelo Criciúma | Fred Lee/Getty Images
Última experiência de Éder no Brasil foi pelo Criciúma | Fred Lee/Getty Images