O que Marcão precisa acertar no Fluminense antes de encarar o líder do Brasileirão

Luiza Sá
·3 minuto de leitura


O primeiro turno surpreendente credenciou o Fluminense na briga por uma vaga na Libertadores. No entanto, a segunda metade do Campeonato Brasileiro tem sido de mais oscilações do que a anterior e demanda uma reação rápida para que o Tricolor mantenha o sonho de retornar à competição continental após oito anos longe. No centro deste cenário está Marcão, que assumiu a vaga de Odair Hellmann no comando da equipe e ainda não conquistou a primeira vitória, tendo um empate com o Vasco e uma derrota contra o Atlético-GO.

> Palpitômetro: Quais são os favoritos em cada jogo da 26ª rodada? Escolha!

Contando com a sexta-feira, Marcão terá seis dias para treinar a equipe entes do duelo com o São Paulo no dia 26, às 21h, no Maracanã. Neste sábado e no domingo o grupo folga, retornando na segunda-feira. Este será o maior período de treinos do ídolo tricolor, que assumiu o time no último dia 8. A boa notícia fica por conta dos retornos de Wellington Silva, Yago Felipe, Luiz Henrique e Calegari, que podem ajudar a corrigir alguns problemas das últimas duas partidas.

A começar pela criatividade e mobilidade no meio-campo. Sem Hudson, suspenso, Marcão terá a oportunidade de tentar encontrar uma formação mais leve, já que o meio-campista era acompanhado de Yuri e Nenê (ou Michel Araújo). Sem alternativas para formar as jogadas, o time sofre também para finalizá-las, já que, especialmente contra o Atlético-GO, os homens de frente, Fred e Marcos Paulo, não tem exatamente essa velocidade para compensar o meio. Por isso, a posse de bola raramente é convertida em chances, mesmo que o Flu passe muito mais tempo com ela no pé.

VEJA A TABELA DO CAMPEONATO BRASILEIRO

Além do ofensivo, é preciso dar mais consistência defensiva. Se antes o setor era tido com uma disputa em alto nível, apesar das falhas de Muriel e em lances pontuais, a força no setor não tem sido vista com Marcão. A equipe sofre um alto número de finalizações por jogo e tem sido salva por Marcos Felipe, digno de elogios e que operou alguns milagres enquanto tem sido titular. E o rendimento abaixo é justificado não apenas pela linha de defesa, mas também por Yuri, que tem tido dificuldades de acompanhar as jogadas.

Outro fator que pode ajudar a justificar é o cansaço que a equipe parece estar sentindo, até pelo momento já mais avançado na temporada. Apesar de ter tido mais tempo de treinos do que grande parte de seus concorrentes, o Flu, é sempre válido lembrar, tem em seu time titular muitos atletas já mais experientes. Portanto, como Marcão tem conhecimento no trabalho com os mais jovens, talvez o treinador precise apostar cada vez mais nestes atletas formados em Xerém, como Luiz Henrique, André, Martinelli, quando estiver recuperado, Calegari, entre outros. Na zaga, por exemplo, caso Luccas Claro fique fora do jogo, Luan ou Frazan podem aparecer no banco de reservas.

Em sétimo lugar no Campeonato Brasileiro, o Fluminense torce por um tropeço do Santos no domingo, contra o Vasco, para não cair para a oitava colocação. O confronto contra o líder da competição, São Paulo, será no dia 26 de dezembro, sábado, no Maracanã, pela 27ª rodada do torneio.