O que já dá para tirar de positivo do Grêmio de Tiago Nunes e o que ainda é vício antigo

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Fabio Utz
·2 minuto de leitura
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

O Grêmio de Tiago Nunes tem três vitórias em três jogos. Isso é fato. E é natural que, mesmo a equipe ainda tendo alguns vícios antigos, já apresente algumas novidades que tendem a se consolidar.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Começando pelo lado positivo. O time já está um pouco mais sólido em termos defensivos. A presença de Thiago Santos à frente da zaga deu, sim, uma consistência que estava faltando, o que facilita também as ações dos laterais. O Tricolor está menos exposto, e a saída para o ataque se dá com mais gente. Já se vê Matheus Henrique, por exemplo, aparecendo mais à frente, e até os próprios homens de lado estão ganhando mais liberdade de apoio.

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Agora, ainda há muita coisa para se consertar. A bola parada defensiva é a principal delas. Não importa se é falta ou escanteio ou quem esteja dentro da área para tentar afastar o perigo. O adversário, constantemente, leva vantagem. Esse era um problema que Renato Portaluppi havia corrigido e que, de uns tempos para cá, voltou a aparecer com força. E outro ponto importante: Nunes precisa insistir para que Jean Pyerre ainda apareça de forma mais constante em locais decisivos do gramado. Embora esteja jogando bem, não adianta ficar longe da área e dos atacantes. Partindo disso, o Grêmio deve evoluir. Para a satisfação de seu torcedor.

Para mais notícias do Grêmio, clique aqui.

Quer saber como se prevenir do coronavírus? #FiqueEmCasa e clique ​aqui.