O que irritou os dirigentes na negociação entre Corinthians e Aguirre

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 minuto de leitura
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

As negociações entre Diego Aguirre e Corinthians duraram menos de 24 horas, mas conseguiram deixar muitos envolvidos desconfortáveis com toda situação. O personagem principal dos maiores incômodos foi Jorge Américo, agente do treinador. A série de exigências do empresário envolvia contraproposta salarial desproporcional, comparações com valores vazados nas tratativas de Renato Gaúcho e até possíveis premiações por metas alcançados.

Basicamente, os cartolas do clube do Parque São Jorge notaram que as negociações tinham dois tons diferente: um com Aguirre e outro com seu empresário. Internamente, Roberto de Andrade e Alessandro Nunes, dirigentes do Alvinegro, manifestaram insatisfação pela maneira como as conversas foram conduzidas. Havia boas expectativas no trabalho do uruguaio.

Duílio Monteiro ficou sabendo da negativa pela imprensa. | Alexandre Loureiro/Getty Images
Duílio Monteiro ficou sabendo da negativa pela imprensa. | Alexandre Loureiro/Getty Images

Além dos evidentes desencontros, Duílio Monteiro Alves, presidente do Timão, ficou sabendo que as tratativas haviam sido encerradas pela imprensa. A mensagem do agente de Aguirre chegou só depois. Agora, após duas negativas, o Corinthians parte em busca do seu novo técnico - nas últimas horas, o nome de Sylvinho, ex- Olympique Lyon, ganhou força.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos