O Palmeiras não tem Mundial? Entenda a discussão

Colaboradores Yahoo Esportes
·4 minuto de leitura
Time do Palmeiras campeão da Taça Rio em 1951 (Palmeiras)
Time do Palmeiras campeão da Taça Rio em 1951 (Palmeiras)

Apesar de ser o maior campeão nacional do Brasil e contar com uma das maiores torcidas do país, o Palmeiras sofre com a provocação dos rivais sobre a falta de um título mundial. Campeão da libertadores apenas uma vez, em 1999, o alviverde disputou o mundial de clubes contra o Manchester United. No entanto, por conta de uma falha do goleiro Marcos, que “saiu caçando borboletas” no cruzamento de Ryan Giggs, o Palmeiras foi derrotado por 1 a 0.

Baixe o app do Yahoo Mail em menos de 1 min e receba todos os seus emails em 1 só lugar

Siga o Yahoo Esportes no Google News

No entanto, de acordo com a diretoria palestrina, esse foi o segundo mundial disputado pelo Palmeiras. O primeiro foi a Copa Rio, disputada no Rio de Janeiro em 1951.

O que foi a Copa Rio?

Na ressaca do vice mundial para o Uruguai em 1950, a CBD (atual CBF) organizou, com auxílio e aval da Fifa, o primeiro torneio de clubes com abrangência mundial da história do futebol. A competição contou com a participação de clubes tradicionais do futebol mundial, como Juventus, Sporting, Nacional, Nice, Estrela Vermelha e, é claro, os brasileiros Vasco e Palmeiras.

O campeonato foi dividido em dois grupos com quatro clubes cada, com o grupo A sendo disputado no Rio de Janeiro e o B em São Paulo. Vasco e Áustria Viena, Juventus e Palmeiras foram os classificados para as semifinais. Em dois duelos extremamente equilibrados, o Palmeiras conseguiu a classificação contra o fortíssimo time do Vasco, na época conhecido como Expresso da Vitória.

A grande final

Classificado para a decisão, o Palmeiras teve de encarar a tradicional Juventus, que havia vencido o alviverde por 4 a 0 na fase de grupos. Apesar do maior favoritismo italiano, o Palmeiras conseguiu uma suada vitória por 1 a 0 no jogo de ida, e precisava de apenas um empate na volta para garantir o título. E foi exatamente esse o resultado da segunda partida. Com mais de 100 mil torcedores em um Maracanã abarrotado, o verdão conseguiu o título graças a um gol de Liminha aos 32 do segundo tempo, que garantiu o empate.

Sentimento de revanche após 1950

O título, na época, foi extremamente importante para o ego do torcedor brasileiro, ainda amargurado pelo vice de 1950. Uma grande festa tomou conta do Rio de Janeiro após o apito final, e os jornais do país comemoraram o título como um campeonato mundial.

Idas e vindas da FIFA

Apesar das grandes comemorações na época, a Fifa só veio a falar sobre a validade do título mais de 50 anos depois da realização do torneio. Em 2007, Urs Linsi, então secretário geral da Fifa, reconheceu, via fax enviado a diretoria do Palmeiras, o torneio como o primeiro título mundial de clubes. No entanto, em dezembro do mesmo ano, a FIFA voltou atrás e, em nota, disse que só são considerados campeões mundiais os times que disputaram o torneio a partir de 2000, quando a competição passou a ser organizada e ter a chancela oficial da federação (a segunda edição foi em 2005, e desde então o torneio é realizado todo ano em dezembro).

Em 2014 ocorreu mais uma reviravolta. Joseph Blatter, presidente da Fifa na ocasião, disse em entrevista ao Globo Esporte que o Palmeiras era, de fato, o primeiro campeão mundial. Posição essa, que foi reafirmada pela federação em consulta feita pelo ministério do esporte, em novembro do mesmo ano. Em 2019, mais uma vez a Fifa voltou atrás, agora com a palavra do atual presidente Gianni Infantino. O italiano, em entrevista afirmou que: "Já decidimos dar o título de campeão mundial a todos que ganharam a Copa entre Europa e América do Sul desde 1960. E 1951 é um pouquinho mais para trás”.

Afinal, Copa Rio é mundial ou não?

Com todas as mudanças de opinião da Fifa, fica difícil ter uma posição definitiva. Apesar de existir documentos assinados pela federação afirmando que a Copa Rio é o primeiro título mundial, o mesmo não é dito em seu site oficial, que cita o torneio apenas como o “primeiro realizado a nível mundial entre europeus e sul-americanos”.

A única coisa que é possível afirmar é que se trata de uma conquista importante, extremamente comemorada pelos palmeirenses (e brasileiros) e retratada como título mundial nos jornais da época. A discussão sobre se é ou não mundial pouco importa, e deve ficar restrita aos torcedores – tanto palmeirenses como rivais.

Siga o Yahoo Esportes no Instagram, Facebook e Twitter

Assine agora a newsletter Yahoo em 3 Minutos