O jovem brasileiro que deixou a padaria para 'pagar' a contratação milionária do treinador do Sporting

Goal.com

"Só o Matheus Nunes vai pagar o Rúben Amorim".

A frase acima dita publicamente por Frederico Varandas, presidente do Sporting, foi suficiente para um jovem brasileiro ganhar as manchetes em toda a imprensa portuguesa no mês passado.

Natural do Rio de Janeiro, Matheus mudou-se muito cedo para Portugal, ainda aos 13 anos, juntamente com a mãe brasileira e o padrasto português. Fez toda a base no Ericeirense, da quarta divisão nacional, enquanto, ao mesmo tempo, trabalhava na padaria da família. 

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Em 2018, já com 20 anos, foi contratado pelo Estoril. No clube da região de Cascais, velho conhecido por apostar em jogadores de origem brasileira, como Lulinha (2009), Luiz Phellype (2013), Bruno César (2015) e Renan Ribeiro (2017), o meia rapidamente ganhou destaque. Depois de apenas oito jogos no time principal, acabou comprado pelo Sporting, por 500 mil euros (por 50% dos direitos econômicos).

Apesar de toda a badalação, Matheus Nunes inicialmente teve de representar a equipe sub-23 dos leões. Até chegou a treinar algumas vezes com o elenco profissional, mas não teve espaço com os antigos treinadores, o holandês Marcel Keizer e o português Jorge Silas.

O cenário mudou por completo com a surpreendente contratação do também português Rúben Amorim, que, depois de somente 13 partidas no comando do Braga, foi adquirido a peso de ouro pelo Sporting. Cerca de 12 milhões de euros foram desembolsados pelo novo comandante, o que, naturalmente, gerou muita discussão nos bastidores e também na comunicação social.

A polêmica de declaração de Varandas colocou uma responsabilidade extra em cima da recém-chegada comissão técnica e, principalmente, do jovem brasileiro, agora com 21 anos, que também já tem nacionalidade portuguesa. Nada que não fosse controlado, pelo menos para já, por Rúben Amorim.

"O Matheus Nunes vai é pagar uma casa à mãe e vai ajudar a família. Ele só tem de preocupar-se com isso e em ajudar o Sporting dentro de campo. É fantástico termos um presidente que acredita, e muito, nos jovens que temos aqui", disparou o treinador, na véspera do regresso do futebol português, que, assim como em boa parte do mundo, foi interrompido por causa da pandemia mundial do novo coronavírus.

Como todos esperavam, sobretudo diante de tantos holofotes, Matheus Nunes, que constantemente é elogiado pela visão de jogo e toque de bola, foi escolhido para ser titular do Sporting no empate em 2 a 2 com o Vitória de Guimarães, na última quinta-feira. Teve uma atuação regular, sendo substituído aos 21 minutos do segundo tempo.

"O que dizer deste momento? Muito feliz pela estreia. Sonho cumprido. Sonho que eu tenho desde que me lembro como pessoa, que sempre trabalhei para realizar. Hoje, estar aqui, é uma honra, mas sei que isso é só o começo", destacou Matheus, nas redes sociais.

Ao que tudo indica, o jovem brasileiro deve receber mais oportunidades com Rúben Amorim nas nove rodadas que faltam para o fim da liga portuguesa, que hoje é liderada cabeça a cabeça pelos rivais Benfica e Porto. Já nos bastidores, Frederico Varandas, cada vez mais pressionado, corre para comprar mais 40% dos direitos econômicos do atleta, pelo menos preço pago anteriormente para garantir os primeiros 50%: 500 mil euros - o Estoril faz questão de manter os outros 10%. 

Leia também