O dia em que Ganso ganhou o jogo para o Sevilla

Foto: Divulgação/Sevilla

Já se passavam mais de 100 dias desde o último jogo de Ganso pelo Sevilla. Contratado em 2016 para ser um dos destaques da equipe de Jorge Sampaoli, o meia saiu do São Paulo com altas expectativas para a sua primeira passagem na Europa. Eis que, no fim da temporada, ele reaparece para dar um gostinho do seu talento.

Vamos lembrar a última vez que Ganso apareceu com destaque (negativo): no jogo contra o Real Madrid, o meia saiu ainda no intervalo e foi acusado de ser “um a menos” em campo pela imprensa espanhola, na Copa do Rei. O placar foi de 3-0 e gerou um turbilhão de críticas ao ex-São Paulo. Fato é que Sampaoli culpava-o pela postura nos treinamentos e que isso era crucial para o seu pouco aproveitamento. Sem a mesma moral do início da temporada e nenhuma grande ambição, o treinador mudou o discurso após o show de Ganso na sexta-feira.

Contra o Granada, o Sevilla precisava vencer para se manter na quarta colocação e perto de uma nova vaga na Liga dos Campeões. Graças a Ganso, que foi titular, os rojiblancos fizeram um gol aos 4 minutos e outro logo após a volta do intervalo. Mostrando bom posicionamento e atenção, o atleta teve frieza para tirar o marcador da jogada e marcar o primeiro. Já no segundo, foi puro oportunismo para se colocar no meio da área e receber uma assistência de Sarabia. Um simples toque na bola serviu para fechar a conta.

Reaparecer no elenco em um momento como este é essencial para Ganso continuar sua carreira na Europa. Se aproveitado da forma correta, ninguém duvida que ele possa se firmar como titular e ser importante na campanha de sua equipe. Por mais que as declarações tenham mostrado certo comodismo por parte do jogador, a energia demonstrada e a inspiração da última sexta-feira mostram que o velho Ganso ainda está disposto a oferecer algo para o Sevilla.

Espera-se que Sampaoli tenha reconhecido que deixar Ganso de fora este tempo todo não fez bem a ninguém. Dar mais chances a um jogador desprestigiado poderia ser muito prejudicial neste ponto da carreira, mas aí está Ganso para nos provar que é possível dar a volta por cima em um ano ruim. O natural é que ele ganhe sequência para os últimos jogos e estabeleça seu domínio na posição.

Para quem ouvia Ganso reclamar que não precisava correr muito nos jogos, a repentina aparição em outros termos é uma surpresa. Mas na realidade, não muda muito do Ganso que conseguiu reencontrar o bom futebol nos tempos de São Paulo. A questão é que os espanhóis não tinham visto isso dele ainda.

Sampaoli ganhou um grande reforço para a sequência do trabalho, isto é, se o argentino continuar mesmo no cargo. Além de tudo, Ganso ganhou sobrevida para a próxima temporada, de forma que mereça muito mais minutos para provar se foi ou não uma boa contratação. Antes de sexta-feira, a impressão era péssima. Algo que já mudou com os dois gols diante do Granada.

Daqui do Brasil, depois de seis anos sob pressão, sabemos que Ganso pode ser muito útil se quiser. E querer é uma parte determinante nessa equação. Treze jogos para alguém que custou 9 milhões de euros é muito pouco.